Bactéria utiliza arsênio como componente de biomoléculas

12/02/2011 - Atualizada em: 30/07/2014

Bactéria descoberta tem a capacidade de utilizar arsênio.

Em dezembro de 2010 a NASA divulgou um estudo que pode reforçar a hipótese da existência de vida fora da Terra e, até, reforçar a hipótese sobre a origem extraterrestre para a vida. A novidade foi a descoberta de uma bactéria , a GFAJ-1 , que tem a capacidade de utilizar arsênio, um elemento químico bastante tóxico para os seres vivos.

Todas as formas de vida dependem basicamente de 6 elementos químicos: hidrogênio, oxigênio, carbono, nitrogênio, fósforo e enxofre.  Em conjunto, esses elementos formam os todos os compostos orgânicos presentes nos organismos vivos, como carboidratos (ex.: glicose e celulose), lipídios (ex.: óleos e gorduras) , proteínas e ácidos nucleicos (DNA e RNA).

No caso da GFAJ-1, os cientistas foram alimentando-a com arsênio de forma contínua e foi verificada uma substituição do fósforo por arsênio em toda bactéria, sendo encontrado inclusive no DNA bacteriano. Essa descoberta implicará em novos estudos sobre a “arquitetura” da vida.

Micrografia de bactéria que usa arsênio como componente de biomoléculas

Com a descoberta, as pesquisas sobre a existência de vida extraterrestre intensificam, pois, até agora, sempre se procurou em outros planetas a ocorrência dos 6 elementos químicos indispensáveis à vida.  Agora, os cientistas descobriram que até mesmo um veneno pode ser fonte de vida.


Para saber mais:

O trabalho foi publicado na Revista Scince em Dezembro de 2010, uma das mais conceituadas revistas do gênero. O trabalho A Bacterium That Can Grow by Using Arsenic Instead of Phosphorus, publicado em 2 December 2010, DOI 10.1126/science.1197258 encontra-se disponível em inglês.