Influenza A - Virus H1N1 (Gripe Suína)

Atualizada em: 30/07/2014

Gripe “A”, outrora denominada de gripe suína, uma vez que seu causador, o vírus H1N1, fora isolado pela primeira vez num porco.

Gripe Suína

1. Introdução

Desde abril de 2009 os noticiários têm dado ênfase a uma nova gripe que, segundo a Organização Mundial de Saúde, foi considerada uma pandemia, isto é, uma doença que afeta um grande número de pessoas ocorrendo, praticamente, em todo o mundo. Trata-se da gripe “A”, outrora denominada de gripe suína, uma vez que seu causador, o vírus H1N1, fora isolado pela primeira vez num porco, em 1930. Com as seguidas modificações em seu material genético, as  chamadas mutações, o vírus tornou-se capaz de vencer a barreira interespecífica e, agora, infecta também seres humanos.  Veja o quadro a seguir.

Gripe Suina - Virus H1N1

Virus H1N1 - Gripe SuinaO índice de mortalidade da doença oscila entre 0,2 e 0,4% dos casos, o que está muito próximo da gripe clássica. Uma característica forte da gripe A é rápida instalação do vírus nos pulmões, o que ocasiona complicações respiratórias que merecem atenção especial, devido à severa insuficiência respiratória. Também podem ocorrer lesões graves nos músculos, o que pode afetar os rins e o coração, com risco de morte. Como os sintomas da gripe A se confundem com as de uma gripe comum, a procura por atendimento médico deve ser imediata, assim que os sintomas gripais ocorrem e a pessoa tem (ou teve) contato com pessoas que foram infectadas com o vírus influenza A ou, ainda, que moram em locais com registro de casos da nova gripe.  Não é recomendado que a pessoa com sintomas passe 48 horas sem procurar atendimento médico. O alerta deve ser levado ainda mais a sério, caso a pessoa esteja inclusa em grupo de risco, que são:
* Idosos à Pessoas com mais de 65 anos apresentam maior vulnerabilidade de saúde em decorrência da idade.
* Crianças com menos de dois anos de idade;
* Gestantes;
* Obesos à as pessoas obesas, frequentemente, apresentam dificuldades respiratórias;
* Pessoas doentes do coração, dos pulmões, dos rins, com hipertensão ou diabetes;
* Pessoas com imunidade reduzida como, por exemplo, quem faz quimioterapia ou realizou algum transplante;
* Portadores de anemia falciforme.


2. Medidas Preventivas Básicas

 

Gripe Suína - Medidas Preventivas

E mais...

Sendo possível, disponibilizar álcool gel para alunos, professores e funcionários.

Evite tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies;

Evitar contato com outras pessoas (abraçar, beijar, etc.)

Manter superfícies limpas utilizando álcool gel ou solução clorada

É importante que o ambiente seja arejado e receba a luz solar, pois estas medidas ajudam a eliminar os possíveis agentes das infecções respiratórias

Manter portas e janelas sempre abertas para uma boa circulação de ar

Criar atividades lúdicas que ensinem as crianças a lavar corretamente as mãos

Mantenha hábitos saudáveis, como alimentação balanceada, ingestão de líquidos e atividade física

Durante o período de afastamento evitar frequentar locais com aglomerados de pessoas ou visitar parentes e amigos (principalmente crianças, idosos, gestantes e pessoas com outras doenças)

Em locais em que a doença esteja ocorrendo, usar máscaras cirúrgicas (comuns)

Pessoas que já contraíram a doença estão naturalmente imunizadas como o que ocorre com outras doenças como a rubéola e a catapora. Contudo, caso o vírus sofra alguma mutação, originando nova cepa (termo comum na microbiologia e que tem o significado de variedade), a doença pode reincidir,  como o que ocorre com a gripe comum, devido à grande variedade de cepas virais. Há vacina para a doença.