- UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO -
- PROVA DE GEOGRAFIA - VESTIBULAR 1996 -

01) Marque a op��o onde se manifesta a rela��o que pode ser estabelecida entre a estrutura fundi�ria brasileira e a atrofia da produ��o de g�neros de subsist�ncia para o mercado interno.
a) H� um pequeno n�mero de minif�ndios que causam a produ��o insuficiente.
b) O n�mero reduzido de latif�ndios compromete a produ��o dos g�neros de subsist�ncia neles cultivados.
c) A pecu�ria pr�pria da grande propriedade est� voltada, principalmente, para o mercado interno.
d) A estrutura que garante a supremacia num�rica da pequena propriedade destina seus produtos de subsist�ncia ao mercado internacional.
e) A estrutura beneficia os produtos de exporta��o.

02) H� uma atividade econ�mica urbana no Brasil em que boa parte da m�o-de-obra ocupada tem sua origem na desigualdade social. Tamb�m, seu desencadeamento, na forma como se d�, s� perpetua a absurda diferen�a entre ricos e pobres, nas metr�poles nacionais.
Essa atividade �:
a) a ind�stria sider�rgica de laminados.
b) a constru��o civil.
c) a inform�tica aplicada.
d) a presta��o informal de servi�os.
e) o extrativismo.

03) Analise o mapa abaixo.

Observando-se os dados acima, podemos concluir, quanto � temperatura, que:
a) a presen�a da continentalidade diminui a amplitude t�rmica.
b) o oceano funciona como um termorregulador da temperatura.
c) Viena tem maior amplitude t�rmica do que Kiev.
d) a presen�a do mar faz Brest ter acentuada amplitude t�rmica.
e) todas as cidades apresentam latitudes baixas.

04) A charge acima conta a hist�ria recente do Brasil, que est� a caminho de suas reformas constitucionais. O fato relacionado � charge �

a) a privatiza��o da Petrobr�s.
b) a flexibiliza��o do monop�lio do petr�leo.
c) a encampa��o da Petrobr�s pela Exxon norte-americana.
d) a venda da estatal brasileira ao governo dos Estados Unidos.
e) o in�cio do processo de carteliza��o promovido por Brasil e EUA.

05) No quadro abaixo, apresentamos alturas m�dias de meninos de 5 anos de idade de pa�ses desenvolvidos e de estratos socioecon�micos altos e baixos de pa�ses em desenvolvimento.

Com ajuda do gr�fico acima, conclui-se que:
a) em S�o Paulo, n�o h� diferen�as antropom�tricas entre a zona urbana e a zona rural.
b) no Nordeste brasileiro, surge uma gera��o de "nanicos", como resultado de car�ncias nutricionais cr�nicas.
c) nos pa�ses desenvolvidos, as diferen�as urbano-rurais s�o, tamb�m, muito acentuadas.
d) na �ndia, tal qual no Brasil, o crescimento natural da popula��o � a causa da desnutri��o.
e) no Nordeste brasileiro, as crian�as das �reas rurais t�m um crescimento compar�vel ao do estrato socioecon�mico alto das �reas urbanas.

06) Analise a charge abaixo.

A charge acima faz uma cita��o humor�stica de um dos maiores problemas do mundo moderno: a chuva �cida.
Considere as afirmativas abaixo:
  I. A Revolu��o Industrial come�ou o in�cio da concentra��o de poluentes na Europa.
II. Cubat�o, no Brasil, est� protegido de chuva �cida pela Serra do Mar.
III. A chuva �cida pode corroer monumentos que s�o patrim�nio da humanidade.

Das afirmativas acima, admite-se como verdadeira(s):
a) apenas a afirmativa I.
b) apenas a afirmativa III.
c) as afirmativas I e II.
d) as afirmativas I e III.
e) as afirmativas II e III.

07) Leia o texto abaixo.
De um modo geral, o r�pido aumento populacional representa um desafio, muito saud�vel em si, ao sistema s�cio-econ�mico vigente no pa�s. (...)
N�o h� nenhum obst�culo tecnol�gico ou "natural" que impe�a atingir e manter o pleno emprego com uma popula��o em r�pido crescimento. Os impedimentos, quando os h�, s�o sempre de ordem institucional. Em �ltima an�lise, uma parte excessivamente grande do Produto Nacional � consumida ou desperdi�ada, de modo que sobre muito pouco para equipar todos os bra�os que desejam ou podem trabalhar. Ora, esta � uma �rea de decis�o humana. Com uma popula��o estagnada, seria talvez mais f�cil que os brasileiros se conformassem com um sistema incapaz de acelerar o desenvolvimento do pa�s. Mas, com uma popula��o em r�pido crescimento, o desejo muito humano de todos quererem participar da divis�o social do trabalho coloca o pa�s diante da obriga��o de se desenvolver intensamente e, deste modo, realizar suas potencialidades hist�ricas.

                                       (SINGER, Paul I. "Popula��o e desenvolvimento"
                                       (excertos). In: Cadernos de ci�ncias da terra.
                                       (S�o Paulo, Instituto de Geografia da USP, 1971, n� 18.)

A teoria demogr�fica embutida no texto �:
a) a neo-malthusiana, porque diz que o crescimento vegetativo � a causa da mis�ria.
b) a malthusiana, porque prega o controle oficial da natalidade.
c) a reformista, porque exige reformas oficiais para o controle da natalidade.
d) a neo-malthusiana, porque prega a estagna��o da popula��o.
e) a reformista, porque prega a institui��o de reformas socioecon�micas.

08) Leia o texto e observe com aten��o o mapa.
... "Em rela��o �s rotas mar�timas, elas s�o escolhidas em fun��o dos itiner�rios mais econ�micos, levando-se em conta as dist�ncias, as condi��es de navega��o (aspectos naturais), a seguran�a..." (Coimbra, Pedro e Tib�rcio, Jos� Arnaldo - Uma An�lise do Espa�o Geogr�fico - S�o Paulo - Ed. Harbra - 1992).

Um fator geogr�fico de localiza��o do Canal do Panam�, o mecanismo utilizado para vencer o obst�culo do relevo e o interesse pol�tico-econ�mico determinante na constru��o do canal s�o:
a) seguran�a natural do golfo do Panam�; corte do relevo para passagem do Canal; controle do Canal pelo Panam�.
b) pequena separa��o entre os oceanos Atl�ntico e Pac�fico; constru��o de eclusas; controle do Canal pelos Estados Unidos.
c) pequena altitude; constru��o de diques fixos; controle do canal pela OEA (Organiza��o dos Estados Americanos).
d) pequena latitude; percurso do Canal a n�vel do mar; controle do Canal pelo NAFTA (mercado norte-americano).
e) seguran�a natural do golfo dos mosquitos; constru��o de diques fixos; controle do Canal pelo MERCOSUL (mercado do Cone Sul da Am�rica Latina).

09) Leia a informa��o a seguir e analise o mapa abaixo.
O acordo de paz ISRAEL-OLP (Organiza��o para Liberta��o da Palestina), firmado em 1993, encontra na cidade de Jerusal�m e no Territ�rio da Cisjord�nia a materializa��o de obst�culos para a paz definitiva.


As lacunas do texto, abaixo, s�o preenchidas, respectivamente com:
Os ingredientes desses focos de tens�o no Oriente m�dio s�o os seguintes: os palestinos reivindicam a parte (1) de Jerusal�m, cidade que fica a (2) do mar morto, no territ�rio da Cisjord�nia que � povoado pelos palestinos e era administrado pela(o) (3) quando Israel o conquistou na Guerra dos Seis Dias.
a) (1) oeste; (2) leste e (3) S�ria.
b) (1) meridional; (2) oeste e (3) Ar�bia Saudita.
c) (1) leste; (2) noroeste e (3) Jord�nia.
d) (1) ocidental; (2) oriente e (3) L�bano.
e) (1) oriental. (2) ocidental e (3) Egito.