- FUNDA��O GET�LIO VARGAS - FGV -
- PROVA DE HIST�RIA - VESTIBULAR 2000 -

01) Os legisladores tiveram import�ncia fundamental para apaziguar a crise social que se abateu sobre Atenas. S�lon, o segundo legislador, realizou, em 594 a.C., v�rias mudan�as quanto ao crit�rio de participa��o no poder. Entre elas podemos destacar:
a) a transforma��o dos costumes e tradi��es (transmitidas oralmente) em leis escritas;
b) a divis�o da cidade em trinta grupos de demos;
c) a reserva dos direitos pol�ticos para aqueles que tinham a capacidade de se armar como hoplitas;
d) o fim do monop�lio de poder pol�tico dos eup�tridas;
e) a cria��o do Conselho do Are�pago para ser o guardi�o das leis.

02) Os romanos denominavam de b�rbaros os povos que viviam fora de suas fronteiras, n�o tinham seus costumes nem estavam submetidos �s suas leis. Entre os v�rios grupos de b�rbaros que desarticularam o poder do Imp�rio Romano e se apossaram de sua parte ocidental, destacavam-se os germanos. Sobre a sociedade germ�nica, � incorreto afirmar que:
a) vivia do pastoreio e da agricultura de subsist�ncia;
b) sua vida social era regulamentada pelos costumes (direito consuetudin�rio);
c) a institui��o do Comitatus baseava-se em uma rela��o pessoal e de lealdade entre o chefe guerreiro
e seus soldados;
d) era uma sociedade primitiva, n�o conhecia o Estado;
e) era uma sociedade monote�sta.

03) "Os reinos b�rbaros que emergiram da destrui��o do Imp�rio Romano tiveram curta dura��o. O reino dos ostrogodos e o dos v�ndalos foram conquistados pelo Imp�rio Bizantino. O reino dos visigodos acabou destru�do pelos �rabes. A heptarquia � sistema de governo de 7 reis, que s� existiu na Inglaterra � anglo-sax�nica � terminou subjugada pelos normandos. Apenas o Reino Franco deitou ra�zes e estruturou-se na G�lia." (Mello e Costa. Hist�ria Antiga e Medieval)
O texto refere-se ao per�odo compreendido entre os s�culos:
a) II e III a.C.;                  
d) V e XI;
b) III e V a.C.;                    e) II e VIII.
c) III e VI;

04) A unifica��o da G�lia deu-se sob o controle de:
a) Cl�vis, da dinastia merov�ngia;
b) Carlos Magno, da dinastia carol�ngia;
c) Carlos Magno, iniciador da dinastia merov�ngia;
d) Carlos Martel, da dinastia capet�ngia;
e) Filipe, o Belo, da dinastia carol�ngia.

05) O surgimento do Islamismo permitiu � Ar�bia:
a) consolidar uma unidade pol�tica e religiosa, fortalecendo-a e possibilitando a expans�o de seu
Imp�rio;
b) o fortalecimento e a propaga��o da primeira religi�o polite�sta moderna;
c) a autonomia dos diversos Califados e, portanto, a difus�o e fortalecimento de seus interesses
comerciais e religiosos;
d) centralizar os diversos Califados e, portanto, a expans�o do polite�smo isl�mico por todo o
Mediterr�neo;
e) unificar apenas religiosamente a regi�o, permanecendo, portanto, os interesses comerciais dos
diversos Califados em conflito.

06) Sobre a forma��o do absolutismo na Fran�a, � incorreto afirmar que:
a) seus antecedentes situam-se, tamb�m, nos reinados de Filipe Augusto, Lu�s IX e Filipe IV, entre
os s�culos XII e XIV.
b) fez-se necess�ria nesse processo a centraliza��o dos ex�rcitos, dos impostos, da justi�a e das
quest�es eclesi�sticas;
c) a aboli��o da soberania dos nobres feudais n�o teve um importante papel nesse contexto;
d) a Guerra dos Cem Anos foi fundamental nesse processo;
e) durante esse processo a alian�a com a burguesia fez-se necess�ria para conter e controlar a
resist�ncia de nobres feudais.

07) Leia atentamente as afirma��es abaixo, sobre a expans�o mar�tima e comercial moderna, e assinale a alternativa correta.
I. O papel pioneiro na expans�o mar�tima e comercial moderna foi dos Pa�ses Ib�ricos, tendo
Portugal iniciado o feito.
II. O papel pioneiro na expans�o mar�tima e comercial moderna foi dos Pa�ses Ib�ricos, tendo a Espanha iniciado o feito.
III. As conquistas espanholas em �frica (Ilhas Can�rias), durante o s�culo XIV, demonstraram a for�a da Invenc�vel Armada �s demais na��es europ�ias.
IV. A Revolu��o de Avis foi um marco antecedente fundamental para essa expans�o.
V. Bartolomeu Dias, navegador portugu�s, foi o respons�vel pela passagem pelo sul da �frica e
pela chegada �s �ndias.
a) Apenas as afirma��es I, III e V est�o corretas;
b) Apenas as afirma��es I e IV est�o corretas;
c) Apenas as afirma��es II e V est�o corretas;
d) Apenas as afirma��es I, IV e V est�o corretas;
e) Apenas as afirma��es III, IV e V est�o corretas.

08) Na ci�ncia, na literatura e na pintura, representaram o Renascimento moderno (s�culos XV e XVI), respectivamente:
a) Kepler, Andr� Ves�lio e Rabelais;
b) Cop�rnico, Shakespeare e Morus;
c) Lavoisier, Cervantes e Goya;
d) Newton, Rubens e da Vinci;
e) Andr� Ves�lio, Cam�es e Rafael.

09) Os 14 pontos apresentados pelo presidente norte-americano Woodrow Wilson, em janeiro de 1918, refletem alguns objetivos para a paz na Europa ap�s a Grande Guerra. Entre eles destacou-se a:
a) determina��o da independ�ncia da Hungria, da Pol�nia, da Iugosl�via e da Tchecoslov�quia;
b) autoriza��o para que os franceses passassem a controlar a S�ria, e os ingleses, a controlar a
Mesopot�mia e a Palestina;
c) corre��o do epis�dio que tinha perturbado a paz mundial por muito tempo e determinava a
devolu��o do territ�rio da Als�cia-Lorena � Fran�a;
d) incorpora��o da Eslov�quia � Rep�blica Theca;
e) determina��o de que a Bulg�ria cedesse para a Rom�nia, a Iugosl�via e a Gr�cia, a maior parte
dos territ�rios anexados durante as guerras balc�nicas.

10) Em abril de 1917, o l�der bolchevique Lenin, exilado em Zurique (Su��a), voltou � R�ssia lan�ando as Teses de Abril. Nesse programa pol�tico � incorreto afirmar que Lenin propunha a/o:
a) forma��o de uma Rep�blica de sovietes;
b) concess�o � defesa nacional, dando total apoio ao governo provis�rio;
c) nacionaliza��o dos bancos e das propriedades privadas;
d) reconstitui��o da Internacional;
e) controle da produ��o pelos oper�rios.

11) Opera��o Condor foi o nome dado ao plano integrado de repress�o aos opositores das ditaduras militares-civis implantadas na Am�rica Latina durante os anos 60 e 70. Este operativo transnacional, dos servi�os de intelig�ncia e das pol�cias pol�ticas, foi respons�vel por muitas pris�es ilegais, torturas, seq�estros e desaparecimentos de cidad�os de diferentes pa�ses deste continente.
Participaram ativamente da Opera��o Condor os seguintes pa�ses:
a) Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai;
b) Argentina, Bol�via e Chile;
c) Bol�via, Chile, Paraguai e Uruguai;
d) Argentina, Brasil, Bol�via, Chile, Peru e Paraguai;
e) Brasil, Bol�via, Chile e Paraguai.

12) Leia atentamente as afirma��es abaixo sobre a Globaliza��o e os Blocos Econ�micos e assinale a alternativa correta:
I. a desagrega��o do mundo sovi�tico e, portanto, do bloco socialista refor�ou pol�tica e ideologicamente os princ�pios do liberalismo.
II. a remo��o das barreiras alfandeg�rias e o fim das diversas formas de protecionismo refor�aram
a tend�ncia da unifica��o dos mercados.
III. a maior pot�ncia da Comunidade Econ�mica Europ�ia � a Inglaterra.
IV. em 1994, o presidente Clinton conseguiu que o Congresso americano aprovasse a cria��o de um mercado
comum � NAFTA, refor�ando as liga��es comerciais entre o Canad� e os Estados Unidos.
V. na Am�rica do Sul foi criado o MERCOSUL com a inten��o de eliminar os empecilhos � circula��o
de produtos, pessoas e capitais entre o Brasil, o Uruguai, a Argentina e o Chile.
a) Apenas II, III e IV est�o corretas;
b) Apenas I e II est�o corretas;
c) Apenas II, IV e V est�o corretas;
d) Apenas III, IV e V est�o corretas;
e) Apenas I, III e V est�o corretas.

13) Em dezembro de 1987, ap�s d�cadas de impasses nas rela��es entre sovi�ticos e norte-americanos, foi assinado em Washington, entre Ronald Reagan e Mikhail Gorbatchev, um acordo que estipulava:
a) o desenvolvimento m�tuo de um complexo sistema tecnol�gico avan�ado em defesa de m�sseis
nucleares;
b) a retirada dos conselheiros sovi�ticos da Nicar�gua;
c) a ajuda econ�mica norte-americana no campo tecnol�gico e da biotecnologia � URSS;
d) a desacelera��o da corrida armamentista, por prever a destrui��o dos m�sseis at�micos;
e) a retirada do contingente militar norte-americano do Afeganist�o.

14) A reconstru��o da Europa, ap�s as guerras napole�nicas, foi direcionada pelo Congresso de Viena. � incorreto afirmar que ele estabeleceu a:
a) cria��o de um pacto militar internacional (Santa Alian�a) para intervir onde houvesse manifesta��es
revolucion�rias;
b) devolu��o dos territ�rios conquistados pela Fran�a, desde a Revolu��o;
c) desobriga��o de pagamento de indeniza��o pelos franceses por terem ocupado territ�rios de outros
pa�ses;
d) restaura��o da monarquia dos Bourbon na Fran�a;
e) autonomia da It�lia e da Alemanha, divididas e submetidas � hegemonia h�ngara.

15) O princ�pio do Uti possidetis esteve presente como base � solu��o dos conflitos de fronteira entre Portugal e Espanha no s�culo XVIII. O resultado efetivo dessa negocia��o foi o Tratado de Madri (1750), que definiu, no caso brasileiro, limites territoriais muito pr�ximos dos atuais. Foi o principal articulador desse tratado/princ�pio:
a) Diego de Mendon�a Corte Real;
b) Francisco Pereira Coutinho;
c) Lu�s Ant�nio de Sousa;
d) Alexandre de Gusm�o;
e) Jo�o VI.

16) � pena � e historiograficamente ultrapassado � que, havendo tantos aspectos importantes a serem abordados em rela��o aos tratados de limites, a quest�o tenha se limitado a perguntar o nome do negociador. Faz j� algumas d�cadas que se descobriu que decorar nomes e datas n�o implica saber hist�rico. Entre as mudan�as operadas no Brasil pela interven��o do Marqu�s de Pombal est�o a/o:
a) cria��o da Companhia Geral do Gr�o-Par� e Maranh�o, a explora��o direta das minas de diamante
e o incentivo � amplia��o dos col�gios jesu�ticos;
b) expuls�o da Companhia de Jesus, a extin��o das capitanias heredit�rias e a redu��o dos impostos
coloniais;
c) explora��o direta da minas de diamante, a extin��o da Companhia Geral do Gr�o-Par� e
Maranh�o e a cria��o do Estado do Maranh�o;
d) apoio e financiamento da Companhia de Jesus, a redu��o de impostos coloniais e a extin��o da
Companhia Geral do Gr�o-Par� e Maranh�o;
e) incentivo �s instala��es manufatureiras na Col�nia, a expuls�o da Companhia de Jesus e a cria��o
da Companhia Geral do Gr�o-Par� e Maranh�o.

17) "A propaga��o das id�ias republicanas, antiportuguesas e federativas (...) ganhou �mpeto com a presen�a no Recife de Cipriano Barata, vindo da Europa, onde representava a Bahia nas Cortes. � importante ressaltar (...) o papel da imprensa na veicula��o de cr�ticas e propostas pol�ticas (...). Os Andradas, que tinham passado para a oposi��o depois das medidas autorit�rias de D. Pedro, lan�aram seus ataques atrav�s de O Tamoio; Cipriano Barata e Frei Caneca combateram a monarquia centralizada, respectivamente na Sentinela da Liberdade e no T�fis Pernambucano." (Boris Fausto. Hist�ria do Brasil)
A conjuntura exposta no texto acima refere-se � emerg�ncia da:
a) Rebeli�o Praieira;
b) Cabanagem;
c) Balaiada;
d) Sabinada;
e) Confedera��o do Equador.

18) O acerto do funding loan, entre o presidente Campos Sales e a Casa Rothschild, representou para a economia brasileira:
a) as condi��es necess�rias para o primeiro investimento industrial do pa�s;
b) uma reacomoda��o da d�vida brasileira com os EUA, que permitiu subsidiar por mais alguns
anos os cafeicultores paulistas;
c) um novo empr�stimo e a suspens�o da amortiza��o do d�bito at� 1911;
d) o fim do ciclo de depend�ncia em rela��o aos banqueiros ingleses, com o perd�o da d�vida e a
amortiza��o dos juros at� 1930;
e) uma pol�tica deflacion�ria que estabilizou o pa�s pelas d�cadas seguintes.

19) Leia atentamente as afirma��es abaixo, sobre o Tenentismo, e assinale a alternativa correta.
I. O Movimento Tenentista (1922-1927) obteve, ao longo de sua marcha de sul ao norte do pa�s, amplo apoio popular, destacando-se a ades�o de oper�rios anarquistas e socialistas � marcha.
II. Os �nicos sobreviventes do Levante do Forte de Copacabana (1922) foram os tenentes Ant�nio Siqueira Campos e Eduardo Gomes, que se tornou, d�cadas depois, ministro da Aeron�utica da Ditadura Militar.
III. O Tenentismo representou um descontentamento das camadas m�dias urbanas com a pol�tica excludente das oligarquias cafeeiras.
IV. � no campo do chamado Movimento Tenentista que emerge o mito do Cavaleiro da Esperan�a, atribu�do a Lu�s Carlos Prestes, comandante de importante coluna que percorreu 25 mil
quil�metros atrav�s de 13 Estados do pa�s.
V. Os tenentes tinham um plano claro e objetivo para a tomada do poder e o estabelecimento de uma nova ordem social com ampla participa��o popular.

a) Apenas as afirma��es I, III e V est�o corretas;
b) Apenas as afirma��es II, III e IV est�o corretas;
c) Apenas as afirma��es II, III e V est�o corretas;
d) Apenas as afirma��es I, III e IV est�o corretas;
e) Apenas as afirma��es III, IV e V est�o corretas.

20) "Perdendo o terreno na luta mobilizat�ria, os golpistas militares e civis aceitaram uma solu��o de compromisso aprovada no Congresso: a instaura��o do regime parlamentarista. Entre os dias 5 e 7 de setembro, Jango retornou a Bras�lia, prestou juramento como presidente da Rep�blica e iniciou um governo extremamente tenso e inst�vel." (Edgard Luiz de Barros. O Brasil de 1945 a 1964)
Esta "perda de terreno na luta mobilizat�ria", � qual o texto se refere, �:
a) ampla participa��o dos trabalhadores no com�cio da Central do Brasil, em apoio �s medidas nacionalistas propostas pelo presidente Jango;
b) denominada Rede da Legalidade, liderada por Leonel Brizola, com apoio de outros governadores
e do III Ex�rcito, pela posse constitucional de Jango;
c) ampla participa��o de diferentes setores sociais progressistas na Marcha da Fam�lia com Deus
pela Liberdade na defesa do parlamentarismo, como uma sa�da controlada para a posse de Jango;
d) articula��o de Tancredo Neves com parlamentares, radicalizando-os contra os militares e civis
golpistas, em prol da pol�tica proposta por Jango;
e) apoio e, simultaneamente, paralisa��o, por 72 horas, de trabalhadores da cidade e do campo pela
posse de Jango.