- UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS - UFMG -
- PROVA DE HIST�RIA DISCURSIVA - VESTIBULAR 2001 -

01) O mercantilismo, doutrina econ�mica dominante no in�cio do per�odo moderno, foi adotado pela maioria dos Estados europeus, ent�o em forma��o, notadamente, por aqueles empenhados no processo colonizador. Segundo Eli Hecksher, o "Estado era sujeito e o objeto da pol�tica econ�mica mercantilista".
   No decorrer do s�culo XVIII, cr�ticas contra os pressupostos mercantilistas come�aram a se avolumar. Tais ataques provinham de uma corrente de pensamento que consolidaria o liberalismo.
1. Cite tr�s principais medidas econ�micas propostas pelos defensores do mercantilismo.
2. EXPLIQUE os principais objetivos dessas medidas econ�micas.
3. APRESENTE os argumentos mais freq�entemente utilizados pelos liberais para criticar as doutrinas mercantilistas.

02) Leia estes trechos:

"A percep��o dos �ndios como uma humanidade, como animais e como dem�nios corresponde a tr�s n�veis poss�veis atrav�s dos quais se expressam as considera��es europ�ias acerca dos homens americanos."

                                             MELLO e SOUZA, Laura de. O Diabo e a Terra de Santa Cruz: 
                                                        feiti�aria e religiosidade no Brasil Colonial.
                                                       S�o Paulo: Companhia das Letras, 1987. p. 56.

"No Mato Grosso, no Par�, em Goi�s, no Tocantins, mesti�os cristianizados ao longo dos s�culos referem-se aos �ndios seus vizinhos e, muito provavelmente, seus parentes, como "caboclos". Longe dos significado que os verbetes de dicion�rio d�o a essa palavra, qualquer crian�a da regi�o explica com facilidade que a humanidade est� dividida em "crist�os" e "caboclos", "batizados" e "n�o batizados", humanos e n�o humanos. Os habitantes desses sert�es ainda usam as mesmas refer�ncias, para diferen�ar brancos e �ndios, que podem ser encontradas nas cartas jesu�ticas dos s�culos XVI e XVII."

MARTINS, Jos� de Souza. A vida privada nas �reas de expans�o da sociedade brasileira.
In: Hist�ria da vida privada no Brasil: contrastes da intimidade contempor�nea.
S�o Paulo: Companhia das Letras, 1998, v.4, p.660-1. 

1. "Os habitantes desses sert�es ainda usam as mesmas refer�ncias, para diferen�ar brancos de �ndios, que podem ser encontradas mas cartas jesu�ticas dos s�culos XVI e XVII".
EXPLIQUE essa afirmativa, tendo em vista o contexto dos trechos lidos.
2. Ao longo de toda a hist�ria brasileira, as rela��es entre brancos e �ndios foram marcadas por conflitos violentos. A natureza desses conflitos, em alguns casos, modificou-se e, em outros, manteve-se est�vel.
Considerando essas informa��es, APRESENTE
a) um aspecto desses conflitos que se modificou.
b) um aspecto desses conflitos que se manteve est�vel.

03) Observe esta tabela:

Em 1703, Portugal e Inglaterra ratificaram um tipo de rela��o comercial, cujos resultados quantitativos est�o apresentados nesta tabela.
1. CITE o tratado que ratificou essa rela��o comercial.
2. EXPLICITE os termos desse tratado.
3. A partir dos dados apresentados na tabela, ANALISE os resultados desse tratado comercial para
a) Portugal
b) Inglaterra

04) Nos primeiros anos que se seguiram � chegada da Fam�lia Real portuguesa ao Brasil, uma s�rie de transforma��es pol�tico-econ�mica se processaram.
1. APRESENTE o principal fator que impulsionou a Fam�lia Real a deixar o Continente Europeu na primeira d�cada do s�culo XIX.
2. CITE duas repercuss�es econ�micas da vinda da Fam�lia Real para o Brasil.
3. RELACIONE a presen�a da Fam�lia Real portuguesa ao Brasil ao processo de emancipa��o pol�tica que ocorreria alguns anos depois no pa�s.

05) Leia este texto:

Tempos Modernos

O Brasil dos novecentos
� terra de novidade
Autom�vel e cinema
Tomam conta da cidade
Que cresce ouvindo disco
Voando de aeroplano
Trabalhando l� na f�brica
Ou jogando futebol.

A greve invade as ruas
Toma conta de S�o Paulo
E o sonho anarquista
Se mistura a outros sonhos:
O que segue com a Coluna
Riscando o ch�o do pa�s
E o que vira modernista
Que faz a arte feliz

A liberdade e o novo
Convivem no sonho do povo

Milton Nascimento e Fernando Brant

1. Considerando as informa��es desse texto, ANALISE as principais transforma��es socioculturais do contexto hist�rico a que ele se refere.
2. "E o sonho anarquista
    Se mistura a outros sonhos..."
EXPLIQUE o sentido desse trecho.

06) Ap�s o t�rmino da Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos passaram a se preocupar com o expansionismo sovi�tico. Em 1947, para atender as pretens�es hegem�nicas norte-americanas, foram disponibilizados recursos a fim de se conter o expansionismo da URSS.
1. CITE a medida respons�vel pela disponibiliza��o desses recursos.
2. EXPLIQUE como essa medida contribuiu para que os EUA alcan�assem seus objetivos estrat�gicos.
3. Em 1949, veio a resposta sovi�tica, com a cria��o de um �rg�o econ�mico estrat�gico.
CITE o nome desse �rg�o.
EXPLIQUE qual era sua meta fundamental.
4. A luta das duas pot�ncias referidas pela hegemonia mundial levou-as � cria��o de duas importantes organiza��es militares.
a) CITE o nome da organiza��o criada sob a iniciativa
   * dos EUA.
   * da URSS.
b) EXPLIQUE qual era a fun��o dessas organiza��es.

07) Observe atentamente esta charge:

   Essa charge foi publicada no in�cio dos anos 60 do s�culo XX, momento em que o Brasil viveu uma de suas mais graves crises pol�ticas.
   A mensagem principal est� relacionada �s cr�ticas dos setores conservadores da sociedade contra o Presidente Jo�o Goulart, chefe de um Governo que defendia a realiza��o de reformas no Pa�s.
Tomando a charge como refer�ncia,
1. CITE a reforma proposta pelo Governo Jo�o Goulart especificamente criticada na figura.
2. EXPLIQUE as raz�es em que se baseavam os cr�ticos de Jo�o Goulart para sustentar o ponto de vista contr�rio �s reformas que ele propunha.

08) A d�cada de 90 do s�culo XX foi caracterizada por um processo de transforma��o e redefini��o dos par�metros vigentes at� ent�o, que, em grande medida, derivaram do quadro estabelecido imediatamente ap�s a Segunda Guerra.
Para alguns autores, as mudan�as implicaram a constru��o de uma Nova Ordem Mundial, enquanto outros entendem ter havido, nessa conjuntura, mais desordem e indefini��o que delineamentos s�lidos. De qualquer modo, h� consenso sobre o fato de que a antiga "ordem" foi abalada pelas tend�ncias transformadoras que emergiram nessa �ltima d�cada do s�culo.
1. CITE tr�s fen�menos representativos dessas transforma��es mundiais recentes.
2. ESCOLHA dois dos fen�menos citados e ANALISE suas principais caracter�sticas.