Engenharia Naval

Curso superior


Palavra do Professor


"Aprender é descobrir aquilo que você já sabe. Ensinar é lembrar aos outros que eles sabem tanto quanto você!"


"Não há saber mais ou saber menos: Há saberes diferentes!"

- Paulo Freire

"Se não puder se destacar pelo talento, vença pelo esforço!"

- Dave Weinbaum

"Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância!"

- Sócrates

"Triste não é mudar de idéia. Triste é não ter idéia para mudar!"

- Francis Bacon


Engenharia Naval

É a área da engenharia que cuida do projeto, da construção e da manutenção de embarcações e seus equipamentos. O engenheiro naval projeta a estrutura, os motores e os demais componentes de navios. Para isso, considera o uso a ser dado à embarcação, a quantidade de carga ou de passageiros a ser transportada, a distância a ser percorrida e o local de operação, se em rios, lagos, mares ou oceanos. Na construção, supervisiona os técnicos e os operários, verifica a qualidade da matéria-prima e os métodos de trabalho e acompanha toda a fabricação. Pode também gerenciar o transporte marítimo e fluvial, controlando o tráfego de embarcações e os serviços de comunicação.

Outras áreas de atuação para esse profissional são lazer e esportes náuticos, a criação de animais marinhos e a exploração de recursos minerais do oceano, sobretudo o petróleo.

Mercado de Trabalho

O mercado voltou a crescer nos últimos três anos e existe uma demanda pelo profissional em todo o país. A construção de novos estaleiros no Rio Grande do Sul e em Pernambuco e a modernização dos estaleiros no Rio de Janeiro, com verbas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal, devem abrir vagas para o engenheiro naval, que é contratado para atuar em projetos, supervisão, inspeção, planejamento e gestão de operação. Historicamente, os melhores postos de trabalho se encontram em empresas de exploração de petróleo, como a Petrobras, que oferece vagas por meio de concursos para especialistas em gerenciamento de projetos. Firmas de engenharia off shore, consultorias e os setores logístico e militar também requisitam o graduado. Os recém-formados encontram oportunidades em escritórios de projetos e classificadoras – empresas que certificam se as construções estão ou não de acordo com as normas internacionais. Além dos estaleiros, esses escritórios são os melhores empregadores do profissional. Na área de navegação fluvial, a hidrovia Tietê–Paraná está com as operações ampliadas para transporte do Etanol.

Salário médio inicial: R$ 3.000

O Curso

O curso tem dois anos de formação básica com muita física, matemática, computação e química. Em seguida, começam as matérias específicas das engenharias (mecânica de fluidos, termodinâmica e ciência e resistência dos materiais) e da formação profissionalizante (hidrodinâmica, estruturas navais, projeto de navio e plataformas marítimas, construção naval e transporte aquaviário). Em aulas práticas de laboratório, o aluno constrói e testa modelos e maquetes estruturais, não só de embarcações tradicionais como também de submarinos e robôs subaquáticos. O estágio e o projeto de conclusão de curso são obrigatórios. Duração média: cinco anos.

O que você pode fazer?

Construção naval 
Projetar e coordenar a construção de embarcações, como navios, barcos e lanchas. Gerenciar serviços de manutenção, reparos e conservação de cascos, motores e máquinas. 

Gerenciamento de transporte 
Planejar todas as etapas do comércio fluvial ou marítimo, desde o embarque e o transporte de carga até o desembarque e o armazenamento. 

Pesquisa e desenvolvimento 
Criar novas tecnologias e adaptá-las a submarinos, plataformas flutuantes e robôs para exploração submarina. 

Projeto de sistemas oceânicos 
Planejar e construir plataformas marítimas e tubulações para o transporte de petróleo.


Recomende a Vestibulando Web aos seus amigos

Seu nome:
Seu e-mail:
Nome do seu amigo:
E-mail do seu amigo:
Mensagem:

Vestibulando Web - Copyright 1999-2010. Todos os direitos reservados.

Ponto.Br