Aposentadoria Especial: veja quem tem direito

No Brasil, algumas profissões específicas são consideradas de alto risco e de grande insalubridade para os trabalhadores que as desempenham diariamente.

É principalmente por isso que a legislação trabalhista faz a previsão de alguns benefícios especiais para estas pessoas que se expõem a estes riscos durante as suas funções no trabalho que exercem. E um destes benefícios adicionais inclui o pedido antecipado da aposentadoria no INSS. Se trata da chamada “Aposentadoria Especial”.

Por exemplo, os médicos e os profissionais que trabalham no setor aeroviário e de segurança tem o direito de entrar com o pedido de aposentadoria mais cedo, antes do que seria o tempo normal de trabalho para fazer a solicitação do benefício aqui no país.

Nesse sentido, existem algumas profissões que podem solicitar o benefício da aposentadoria depois de 25 anos cumpridos de trabalho, enquanto outras permitem a solicitação da previdência com 20 anos de trabalho, e algumas com até 15 anos de atuação no mercado. Não são muitas, mas a possibilidade existe.

Para saber mais sobre este assunto, você pode conferir logo em seguida quais são os trabalhos de risco e de insalubridade que permitem a solicitação da Aposentadoria Especial. Os trabalhados que estão listados logo a seguir estão divididos por tempo mínimo de atuação exigido até o momento da aposentadoria.

Profissões que exigem um tempo de, pelo menos, 25 anos de atividade especial

  • Setor Aeroviário
  • Aeroviário de Serviço de Pista
  • Auxiliares de Enfermaria
  • Auxiliares de Tinturaria
  • Auxiliares ou Serviços Gerais que trabalham em condições de insalubridade
  • Cirurgiões
  • Cortador Gráfico
  • Eletricistas (acima dos 250 volts)
  • Engenheiros químicos, metalúrgicos e de mineração
  • Químicos industriais e toxicologistas
  • Gráficos
  • Maquinistas de Trem
  • Médicos
  • Metalúrgicos
  • Mineiros de superfície
  • Motoristas de ônibus
  • Motoristas de Caminhão (acima de 4000 toneladas)
  • Técnico em laboratórios de análise e laboratórios químicos
  • Técnico de radioatividade
  • Trabalhadores em serviços de extração de petróleo
  • Transporte ferroviário
  • Transporte urbano e rodoviários
  • Tratoristas (de Grande Porte)
  • Operadores de Caldeira
  • Operadores de Raios-X
  • Operadores de Câmara Frigorifica
  • Pintores de Pistola
  • Recepcionistas (Telefonistas)
  • Supervisores e Fiscais de áreas
  • Torneiro Mecânico
  • Trabalhadores de Construção Civil (de Grandes Obras, Apartamentos acima de 8 andares)
  • Vigia Armado (Guardas)

Profissões que exigem um tempo de, pelo menos, 20 anos de atividade especial

  • Extrator de Fósforo Branco
  • Extrator de Mercúrio
  • Fabricantes de Tintas
  • Fundidores de Chumbo
  • Laminadores de Chumbo
  • Moldadores de Chumbo
  • Trabalhadores de Túnel ou de Galeria Alagada
  • Trabalhadores permanentes em locais de subsolo, afastados das frentes de trabalho
  • Carregadores de Explosivos
  • Encarregados de Fogo

Profissões que exigem um tempo de, pelo menos, 15 anos de atividade especial

  • Carregadores de Rochas
  • Mineiros no subsolo
  • Operadores de britadeira de rocha subterrânea
  • Perfuradores de Rochas em Cavernas

Lembrando que em todas as profissões que foram citadas anteriormente, o trabalhador precisa comprovar não apenas o seu tempo de serviços exercidos nestas funções, mas também as condições insalubres e de riscos à saúde em que elas foram praticadas.

Afinal, somente a categoria profissional em si não prova que o trabalhador foi exposto aos riscos físicos. Nesse sentido, é preciso comprovar esta situação para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) com o maior número de documentos que for possível.

Uma vez que for comprovada a situação insalubre pela qual o trabalhador foi exposto durante o exercício das suas funções, o INSS tem a obrigação de aceitar o pedido de Aposentadoria Especial e submetê-lo à análise. E assim que o processo de análise tiver início, o trabalhador deve ser informado de cada uma das suas etapas.

Se o trabalhador esteve envolvido em uma atividade empregatícia que não foi citada na lista anterior – ou seja, que não está em uma categoria profissional reconhecido pelo INSS como um campo de trabalho para a formalização de um pedido de Aposentadoria Especial – ainda assim, ele tem o direito de verificar, junto ao INSS, as peculiaridades das suas condições de trabalho. Para isso, ele deverá consultar, em conjunto com um advogado, quais são as suas reais possibilidades.

Diariamente, o INSS recebe pedidos excepcionais de benefícios de aposentadoria. E no caso da Aposentadoria Especial, esta situação é ainda mais evidente. Por isso, desde que se possa comprovar uma situação por meio de documentação, as portas do instituto devem estar abertas para receber esse tipo de solicitação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.