Questões sobre herança e cromossomos sexuais

01) (Unisalesiano/2022 – Medicina) Em camundongos, há indivíduos que nascem com cauda normal e indivíduos que nascem com cauda inclinada. Para determinar o padrão de herança desse aspecto da cauda, seis pares de camundongos foram cruzados e os resultados estão dispostos no quadro a seguir. Nesse quadro, o fenótipo normal é representado pela letra N e o inclinado, pela letra I.

De acordo com as informações apresentadas no quadro, é possível deduzir que a herança da cauda inclinada em camundongos é
A) dominante ligada ao X.
B) recessiva ligada ao X.
C) autossômica recessiva.
D) autossômica dominante

02) (CFO) Uma mulher que tem pai normal para o Daltonismo e uma mãe, também normal, casa-se com um homem sem Daltonismo e tem um filho Daltônico.
A explicação correta para este fato é:
A) O gene para o Daltonismo está no cromossomo X que ela recebeu da mãe.
B) Ela recebeu o gene para o Daltonismo do pai, embora ele seja normal.
C) O gene para o Daltonismo é sempre mutante de cromossomo autossômico.
D) Ela recebeu um gene recessivo da mãe e outro recessivo do pai e passou o gene para o filho.

03) (FUVEST/2013)  A forma do lobo da orelha, solto ou preso, é determinada geneticamente por um par de alelos.

O heredograma mostra que a característica lobo da orelha solto NÃO pode ter herança

A) autossômica recessiva, porque o casal I-1 e I-2 tem um filho e uma filha com lobos das orelhas soltos.
B) autossômica recessiva, porque o casal II-4 e II-5 tem uma filha e dois filhos com lobos das orelhas presos.
C) autossômica dominante, porque o casal II-4 e II-5 tem uma filha e dois filhos com lobos das orelhas presos.
D) ligada ao X recessiva, porque o casal II-1 e II-2 tem uma filha com lobo da orelha preso.
E) ligada ao X dominante, porque o casal II-4 e II-5 tem dois filhos homens com lobos das orelhas presos.

04) (Enem/2015) Um importante princípio da biologia, relacionado à transmissão de caracteres e à embriogênese humana, foi quebrado com a descoberta do microquimerismo fetal. Microquimerismo é o nome dado ao fenômeno biológico referente a uma pequena população de células ou DNA presente em um indivíduo, mas derivada de um organismo geneticamente distinto. Investigando-se a presença do cromossomo Y, foi revelado que diversos tecidos de mulheres continham células masculinas.
A análise do histórico médico revelou uma correlação extremamente curiosa: apenas as mulheres que antes tiveram filhos homens apresentaram microquimerismo masculino. Essa correlação levou à interpretação de que existe uma troca natural entre células do feto e maternas durante a gravidez.

MUOTRI, A. Você não é só você: carregamos células maternas na maioria de nossos órgãos. Disponlvel em: http://g1.globo.com.
Acesso em: 4 dez. 2012 (adaptado).

O princípio contestado com essa descoberta, relacionado ao desenvolvimento do corpo humano, é o de que

A) o fenótipo das nossas células pode mudar por influência do meio ambiente.
B) a dominância genética determina a expressão de alguns genes.
C) as mutações genéticas introduzem variabilidade no genoma.
D) as mitocôndrias e o seu DNA provêm do gameta materno.
E) as nossas células corporais provêm de um único zigoto.

05) (Univag/2018) Uma família apresenta indivíduos com uma doença que gera morte precoce dos afetados e é determinada por um alelo recessivo ligado ao sexo. Assinale a alternativa que contém o heredograma que pode representar a transmissão genética dessa doença.

06) (Famerp/2016) A distrofia muscular do tipo Duchenne é uma doença determinada por um alelo recessivo ligado ao cromossomo X. Ela causa degeneração progressiva dos músculos esqueléticos.
Júlia, que tem pais normais e um irmão com essa distrofia, casa-se com Pedro. A genealogia ilustra essas informações.

A probabilidade de Júlia gerar uma criança com distrofia muscular será de
A) 1/4.
B) 1/2.
C) 1/8.
D) 1/6.
E) 1/16.

07) (UFPR/2019)  Uma doença genética muito rara tem padrão de herança dominante. Um homem, filho de mãe afetada e pai normal, é afetado pela doença e é casado com uma mulher que não é afetada pela doença. A respeito dos filhos desse casal, é correto afirmar:
A) Um filho desse casal tem probabilidade de 75% de ser afetado pela mesma doença do pai, no caso de o gene em questão estar localizado num cromossomo autossômico.
B) Uma filha desse casal tem probabilidade de 100% de ser afetada pela mesma doença do pai, no caso de o gene em questão estar localizado no cromossomo X.
C) Um filho desse casal tem probabilidade de 50% de ser afetado pela mesma doença do pai, no caso de o gene em questão estar localizado no cromossomo X.
D) Uma filha desse casal tem probabilidade de 25% de ser afetada pela mesma doença do pai, no caso de o gene em questão estar localizado num cromossomo autossômico.
E) Uma filha desse casal tem 0% de probabilidade de ser afetada pela mesma doença do pai, no caso de o gene em questão estar localizado no cromossomo X.

08) (UFRGS/2019)  Nas galinhas, existe um tipo de herança ligada ao cromossomo sexual que confere presença ou ausência de listras (ou barras) nas penas. Galos homozigotos barrados (ZBZB ) foram cruzados com galinhas não barradas (ZbW), resultando em uma F1 de galos e galinhas barradas.
Considerando uma F2 de 640 aves, a proporção fenotípica esperada será de
A) 480 galos barrados, 80 galinhas não barradas e 80 galinhas barradas.
B) 80 galos barrados, 80 galinhas não barradas e 480 galinhas barradas.
C) 40 galos barrados, 80 galinhas não barradas e 520 galinhas barradas.
D) 320 galos barrados, 160 galinhas não barradas e 160 galinhas barradas.
E) 160 galos barrados, 160 galinhas não barradas e 320 galinhas barradas.

09) (Unifagoc/2019-2) Se um homem daltônico casar-se com uma mulher heterozigótica para daltonismos, qual será a probabilidade desse casal ter um bebê do sexo feminino normal?
A) 25%.
B) 50%.
C) 75%.
D) 100%.

10) (UNESP/2022)  Os heredogramas a seguir representam duas famílias, A e B.
Na família A, os indivíduos representados por símbolos escuros apresentam daltonismo, uma característica genética de herança recessiva ligada ao sexo. Na família B, os símbolos escuros representam indivíduos portadores de acondroplasia, ou nanismo, uma característica genética de herança autossômica dominante.
Não há histórico de ocorrência de daltonismo na família B, e não há histórico de ocorrência de acondroplasia na família A.

Supondo que a mulher II-3 da família A venha a ter um bebê com o homem II-1 da família B, a probabilidade de a criança ser uma menina que não tenha daltonismo nem acondroplasia e a probabilidade de ser um menino que não tenha daltonismo nem acondroplasia são, respectivamente,
A) 50% e 25%.
B) 25% e 12,5%.
C) 12,5% e 12,5%.
D) 12,5% e 50%.
E) 25% e 25%.

Resolução das Questões sobre Herança e Cromossomos Sexuais

01) Pelo cruzamento I percebe-se que a característica é condicionada por gene alossômico (situado em cromossomo sexual), pois, do cruzamento entre fêmeas de cauda normal com machos de cauda inclinada, todos os descendentes fêmeas apresentaram cauda inclinada e todos os descendentes machos apresentaram cauda normal.
Pelo cruzamento 6 conclui-se que a característica “cauda inclinada” é dominante sobre “cauda normal”, pois, do cruzamento entre dois animais com cauda inclinada surgiram descendentes machos com cauda normal.
Conclui-se, assim, que se trata de um caso de herança dominante ligada ao cromossomo X.
Utilizando-se genótipos para o cruzamento 1 percebe-se facilmente a situação.
Considerando:
XN : cauda inclinada
Xn : cauda normal

Fêmea de cauda normal (XnXn) x Macho de cauda inclinada (XNY)

Resp.: A

02) O daltonismo é um problema visual condicionado por um alelo recessivo ligado ao sexo (gene no cromossomo X). No caso da questão, a mulher é heterozigota (XDXd), assim como a mãe dela (quem passou o gene para ela).
Do cruzamento entre uma mulher heterozigota com um homem normal (XDY), pode sair um descendente hemofílico.
Cruzamento:
Resp.: A

03) A forma do lobo da orelha não é um caso de herança autossômica recessiva, pois, caso fosse, todos os filhos do casal II.4 x II.5 (que tem lobos soltos) teriam lobos soltos. Nesse caso, o casal seria aa x aa e, assim, todos os seus filhos (e filhas) teriam genótipo aa (lobos soltos), o que não ocorre.
Resp.: B

04) O princípio contestado é o de que as nossas células corporais provêm de um único zigoto.
O texto revela o fato de que mulheres, que tiveram filhos homens, podem apresentar o cromossomo Y em diversos tecidos.
Resp.: E

05) Como se trata de uma doença recessiva ligada ao sexo (gene no cromossomo X; não ocorre no Y) é preciso pensar que um homem doente terá genótipo XdY  (tendo recebido o Xdda mãe), enquanto uma mulher doente terá genótipo XdXd (assim, o pai dessa mulher obrigatoriamente é doente (XdY) para passar seu cromossomo X com o alelo defeituoso à filha).
Com base nesse conhecimento, já se descarta a opção A e a letra B (não tem como o 1º casal ter uma filha afetada, sendo o pai normal).
A letra C também é eliminada, pois, o casal II.2 x II.3 tem uma filha (III.4) afetada e o pai dela (II.3) é normal.
Na letra D, pais afetados têm filhos (homens) afetados, sugerindo herança holândrica (gene no cromossomo Y).
A letra E pode representar um heredograma de uma situação de herança ligada ao sexo. Os homens afetados têm mães portadoras (heterozigotas), como mostra o heredograma abaixo.
Resp.: E

06) 
07) Se o gene (dominante) estiver no cromossomo X, isso significa que todos os descendentes (filhos e filhas) desse homem serão afetados, pois, herdarão o cromossomo X com o alelo dominante do pai.
Resp.: B

08) Cruzando aves parentais, tem-se:

P ) ZBZB x (ZbW)

F1) Todos os machos ZBZb e todas as fêmeas ZBW.  (Cuidado: nas aves, a fêmea é o sexo heterogamético, no caso, ZW).

Cruzando F1 x F1  (ZBZb x ZBW), tem-se:

Analisando o resultado, tem-se 100% dos machos (ZBZB e ZBZb) barrados e, dentre as fêmeas, 50% barradas (ZBW) e 50% não barradas (ZbW).
Considerando um total de 640 descendentes, espera-se que 320 sejam machos e 320 sejam fêmeas.
Diante dos resultados obtidos, espera-se:
Machos: 320 barrados
Fêmeas: 160 barradas e 160 não barradas.
Resp.: D

09) Homem daltônico: XdY
Mulher heterozigota: XDXd
Fazendo o cruzamento:

As representações na cor rosa indicam pessoas do sexo feminino (e normais). Portanto, a probabilidade desse casal ter uma menina normal é de 50%.
Resp.: B

10) Como o daltonismo é condicionado por  um alelo recessivo ligado ao X e a mulher I.1 é afetada, isso significa que seu genótipo é XdXd. Já o homem I.2, como é normal, tem genótipo XDY. Então, têm-se os seguintes genótipos:
Considerando, agora,  a família B tem-se a informação de que a acondroplasia é um condicionada por alelo dominante. Assim, a mulher I.1 é homozigota recessiva (aa) e seu filho (II.1) é heterozigoto (Aa).

Considerando a inexistência de casos de acondroplasia na família A e a inexistência de casos de hemofilia na família B, têm-se os seguintes genótipos para o casal em questão:
Mulher II.3 =  XDXd  aa
Homem II.1 = XDY Aa
Então, efetuando-se os cruzamentos (uma característica de cada vez), tem-se:

Probabilidade de nascer menina sem daltonismo (XDXD / XDXd) = 1/2) e sem acondroplasia (1/2 ) = ¼
Probabilidade de nascer menino sem daltonismo (XDY) e sem acondroplasia = ¼ x ½ = 1/8
Resp.: B

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.