Sisu, Prouni, Fies 2020: confira os calendários

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta sexta-feira, 17 de janeiro, notas individuais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019. A forma mais conhecida de usar os resultados é no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), um programa do governo federal que permite candidatar-se a vagas de universidades públicas de todo o Brasil.

Para além dessa opção, é possível usar a nota da prova para entrar em instituições privadas, ganhar bolsa de estudo pelo Programa Universidade para Todos e empréstimo pelo programa de financiamento estudantil (Fies). Veja abaixo o calendário dos principais programas:

Sistema de Seleção Unificada – SISU

O Sisu é um portal do MEC que reúne em um buscador as vagas de universidades públicas de todo o Brasil reservadas para quem fez as provas do Enem. Para se candidatar, o aluno precisa ter participado da última edição do exame e não pode ter zerado a redação. Há duas edições do Sisu por ano – a primeira de 2020 estará com as inscrições abertas de 21 a 24 de janeiro.

O candidato escolhe até duas opções de curso, que podem ser alteradas durante o período de inscrições. Diariamente, o Sisu calcula e divulga a nota de corte estimada para cada curso – a nota não é final, serve apenas para nortear a escolha do candidato.

Programa Universidade Para Todos – ProUni

A nota do Enem serve para o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas integrais e parciais em universidades privadas para estudantes de baixa renda. É preciso ter feito a última prova e tirado ao menos 450 pontos de média, sem zerar a redação. As inscrições vão de 28 a 31 de janeiro no portal do Prouni. Para participar é preciso atender às seguintes condições:

  • Bolsas integrais: renda familiar bruta mensal per capita de até 1,5 salário mínimo (R$ 1.558,50).
  • Bolsas parciais: renda familiar bruta mensal per capita de até três salários mínimos (R$ 3.117).

Exigências

  • Ensino Médio em escola pública ou bolsa integral em escola particular.
  • Ter cursado o Ensino Médio parcialmente em escola pública e parcialmente em privada, na condição de bolsista integral.
  • Ser pessoa com deficiência.
  • Ser professor do quadro permanente de uma escola pública (nesse caso, o critério de renda familiar não se aplica).

Fundo de Financiamento Estudantil – Fies

A nota no Enem é levada em conta para o estudante receber o Financiamento Estudantil (Fies) do governo federal. Atenção: é um empréstimo, e não uma bolsa de estudos. É preciso ter média de pelo menos 450 pontos e não ter zerado a redação. As inscrições do Fies 2020 ocorrem de 5 a a 12 de fevereiro. O empréstimo a juro zero no Fies ocorre para alunos com renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos (R$ 3.117). Assim que acaba a graduação, o formado precisa pagar a dívida.

P-Fies

A outra modalidade de empréstimo, o P-Fies, abrange menos universitários e é focada naqueles com renda per capita mensal familiar maior, entre três e cinco salários mínimos (R$ 3.117 e R$ 5195). A diferença aqui é que, diferentemente do Fies, que tem juro zero, o P-Fies segue o juro do banco ou instituição de crédito contratada pelo estudante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.