Estudar Gastronomia: entenda como funciona a profissão

A profissão de gastronomia é uma das mais interessantes no mercado brasileiro atualmente, além de ser uma das com mais vaga. De acordo com a Abrasel, são 450 mil vagas anuais criadas no setor. Além disso, a profissão de gastronomia é também uma das mais versáteis do mercado, permitindo vários tipos de atuações diferentes, além de vários subsegmentos próprios dentro dos restaurantes.

Por isso, quem deseja ingressar na profissão, precisa saber como ela funciona para entender o que pode ou não ser feito dentro de uma cozinha. Se é o seu caso, siga a leitura para saber mais sobre o assunto!

Como funciona a profissão de gastronomia?

O profissional treinado em gastronomia tem uma série de conhecimentos que vão muito além de simplesmente “saber como cozinhar”. Na verdade, o profissional da área entende sim como funciona o processo químico dentro de uma cozinha, entendendo como obter determinadas texturas e sabores nos alimentos, como combiná-los e como realizar receitas específicas, mas também aprende muito mais.

Confira a seguir alguns dos assuntos que o profissional de gastronomia deve saber:

  • gestão de cozinha;
  • segurança alimentar;
  • processos industriais;
  • características dos alimentos;
  • legislação alimentícia;
  • valor nutricional dos alimentos.

É importante ter em mente que, apesar de saber o valor nutricional dos alimentos, necessariamente o profissional de gastronomia não está capacitado para poder passar dietas como um nutricionista ou nutrólogo. Para isso, é necessário fazer uma formação específica de nutricionista, que conta também com ensinamentos na área de saúde.

Por causa disso, quem escolhe seguir a profissão em gastronomia pode atuar em uma série de posições diferentes.

A principal delas (e mais cobiçada pelos estudantes) é trabalhar na cozinha, seguindo a hierarquia tradicional de uma cozinha de restaurante. No caso, o profissional inicia a profissão atuando como auxiliar de cozinha. Isso é verdadeiro especialmente no Brasil, em que os restaurantes são menores e, portanto, a hierarquia é um pouco mais básica.

Depois, a pessoa pode ser elevada a Sous chef, que é o subchefe da cozinha e tem funções de atendimento operacional, orientação aos cozinheiros e mais. Por fim, o topo da hierarquia é a do chefe de cozinha, cuja função é de gestão, criação de cardápios e pratos, contratação de membros da cozinha, comprar insumos e mais.

No entanto, em cozinhas maiores e com uma hierarquia mais tradicional, existem algumas funções específicas também. Uma delas é a do Legumier, responsável por lidar com as saladas, vegetais e ovos dentro de cada prato.

Há também o Aboyeur, responsável por receber todos os pedidos do salão e organizá-los dentro da lógica da cozinha para que o serviço corra bem. Por fim, existe o Confeiteiro, cuja função é de lidar com as sobremesas.

Outras profissões dentro da área

No entanto, toda essa hierarquia de cozinha é apenas um dos caminhos para quem estuda gastronomia. Existem outras áreas de atuação também. Veja algumas:

  • Personal chef – é o profissional que atua em casas particulares e cuida da alimentação das pessoas;
  • Segurança alimentar – faz vistorias em cozinhas para garantir que as normas foram seguidas;
  • Indústria alimentícia – trabalha com fábricas e indústrias para elaboração de produtos gastronômicos;
  • Consultoria – mais focado na área de gestão, ajuda empresas do ramo a terem sucesso.

Qual é o mercado para quem estuda gastronomia?

No Brasil, que é um país com grande foco no setor de serviços, há um bom mercado para os estudantes de gastronomia.

Como visto acima, o setor de gastronomia gera pelo menos 450 mil empregos todos os anos, o que é excelente para quem quer ingressar na área.

Além disso, há uma grande tendência de transformação no setor. Há alguns anos, os food trucks começaram a se popularizar e hoje são uma realidade no mercado.

Além disso, mesmo com a crise do novo coronavírus, o setor conseguiu se reinventar especialmente graças aos aplicativos de delivery. Só um deles registrou aumento de 30% do número de pedidos.

Por causa da popularização dos aplicativos, muitos restaurantes estão adotando o modo “dark kitchen”, que significa ter apenas uma cozinha, mas não o salão para atuar. Ou seja: os restaurantes só funcionam via delivery.

Para completar, o paladar do brasileiro tem evoluído e agora aceita várias outras opções. Os restaurantes não ficam mais restritos a vender pizza, churrasco, hambúrguer, sushi e comida caseira, mas podem evoluir para outras regionalidades (comida havaiana, indiana por exemplo), outros modelos de funcionamento e por aí vai.

Por isso, esse é um excelente momento para quem quer entrar na profissão em gastronomia, pois o segmento passa por uma transformação significativa. Isso significa que há muito espaço para experimentação e obter um posicionamento interessante no momento, especialmente para quem tem alguma familiaridade com as redes sociais e sabe como usar fotos de comida para gerar engajamento por lá.

E aí, o que você achou do nosso conteúdo? Ficou com vontade de seguir a carreira em gastronomia ou acha que o setor não é para você? Comente abaixo com a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.