Sisu 2021/1: tire suas dúvidas

A partir da próxima semana estarão abertas as inscrições do Sistema de Seleção Unificado (SISU), de 06 a 09 de abril. O sistema proporciona por meio do Ministério da Educação (MEC), vagas em universidades públicas do Brasil.

Para que o estudante possa participar, é preciso ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição 2020, e não pode ter nota zero na redação.

Os candidatos devem acessar a página do Sisu pelo smartphone, tablet ou computador através da internet e clicar na opção “fazer inscrição”, localizada na página. Quando direcionado para a próxima tela, basta fazer o login em gov.br ou realizar o cadastro caso ainda não tenha feito.

Entretanto, antes de iniciar a inscrição para alguma universidade, o candidato deverá confirmar alguns dados pessoais para seguir os próximos passos. Em seguida, o estudante deve escolher no máximo duas opções de curso que podem ser pesquisados pelo nome do curso, instituição ou por cidade.

Posteriormente, a plataforma solicitará que o candidato verifique e confirme os dados de curso, documentação exigida pela instituição e a modalidade de vaga. Caso esteja tudo certo, basta clicar em “confirmar minha inscrição”.

Para realizar a inscrição, não será cobrada nenhuma taxa pelo sistema do Sisu e deve-se lembrar que todos os documentos exigidos vão depender de acordo com a instituição escolhida pelo candidato.

Vale ressaltar que o candidato também deve estar atento se possui todos os documentos exigidos pela vaga e caso não tenha, ir atrás quanto antes para que não fique nenhuma documentação pendente com a instituição.

Calendário do Sisu 2021/1

  • Inscrições – 6 a 9 de abril
  • Resultado chamada regular – 13 de abril
  • Prazo para lista de espera – 13 a 19 de abril
  • Matrícula chamada regular – 14 a 19 de abril
  • Convocação de candidatos em lista de espera – 23 de abril.

Quantas vagas estão disponíveis no Sisu 2021?

O programa está oferecendo neste semestre,  209.190 vagas, em 5.865 cursos de graduação de 110 instituições públicas.

Como saber a minha posição no Sisu?

O candidato consegue saber a sua posição a partir do segundo dia de inscrições. O Sisu mostra aos candidatos a posição nas duas opções de curso que foram escolhidas. Entretanto, caso o candidato altere alguma das opções, a posição será apresentada apenas no dia seguinte. Neste caso, a posição  sempre será apresentada de acordo com a modalidade escolhida (ampla concorrência ou cotas) e ao dia anterior.

Como é feito o cálculo da posição no Sisu 2021?

A posição de cada candidato será calculada em ordem decrescente de nota, o que será levado em consideração as inscrições de cada modalidade. São atualizadas uma vez por dia, geralmente de madrugada.

Apesar disso, a nota pode mudar conforme os critérios de cada universidade. Algumas instituições de ensino superior priorizam nota com maior peso nas provas do Enem com áreas relacionadas a cada curso como Linguagem e Códigos para faculdades de Letras e Matemática para cursos de Engenharia.

Outras universidades adotam critérios especiais. No Instituto Federal de Ciência, Tecnologia e Educação do Ceará (IFCE), por exemplo, estudantes que tenham concluído o Ensino Médio no estado é oferecido um adicional de 10% na nota do Enem, e outro, de 20%, a estudantes que residam na mesma região metropolitana que a sede na qual estão disputando vagas.

O que significa a nota de corte do Sisu?

A nota de corte é aquela destinada para cada curso, ela é atualizada diariamente junto com as classificações dos candidatos. Ou seja, uma vaga para Letras, por exemplo, suponhamos que a nota de corte seja de 600 pontos, neste caso pessoas com nota maior ou igual à de corte estão classificados, e pessoas com nota menor não estão classificados.

Apesar disso, há também as notas de corte finais das próprias universidades, além da do Sisu. Elas servem apenas como um guia, pois se modificam todo ano, e representam, em cada curso, a nota do último candidato a ter se inscrito naquele curso considerando os classificados do Sisu, os do banco de suplentes e os da lista de espera na edição anterior do programa.

Como funcionam as cotas no Sisu?

Conhecidas como cotas, as políticas afirmativas de ingresso no Ensino Superior são reservas de vagas que seguem alguns critérios específicos, conforme a Lei 12.711/2012 (Lei de Cotas) e suas atualizações.

Segundo o texto, as universidades federais devem reservar, no mínimo, metade das vagas para estudantes que concluíram o Ensino Médio em escolas públicas. Além desta exigência – que é comum a todas as cotas, há, ainda, outras classificações. Confira logo abaixo:

  • Cota L1: Candidatos que cursaram todo o ensino médio em escolas públicas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo;
  • Cota L2: Candidatos que cursaram todo o ensino médio em escolas públicas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, autodeclarados pretos, pardos ou indígenas;
  • Cota L5: Candidatos que cursaram todo o ensino médio em escolas públicas, independente da renda;
  • Cota L6: Candidatos que cursaram todo o ensino médio em escolas públicas, independente da renda, autodeclarados pretos, pardos ou indígenas;
  • Cota L9: Candidatos com deficiência que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas;
  • Cota L10: Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas;
  • Cota L13: Candidatos com deficiência que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas;
  • Cota 14: Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas.

Desta forma, as cotas com base em deficiência e raça/etnia decorrem de uma classificação proporcional, ou seja, está baseada na quantidade de pessoas autodeclaradas pretas, pardas ou indígenas, e a quantidade de pessoas com deficiência, conforme os dados mais recentes disponíveis no Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Vale informar também que, as cotas destinadas a pessoas com renda familiar bruta de até 1,5 salário mínimo são de 50% do total de cotas disponibilizadas em cada modalidade.

O candidato que passou na segunda opção de curso do Sisu 2021 pode ficar na lista de espera da primeira opção?

Não. Se ele for aprovado na segunda opção de curso, deverá se matricular nela, ou perderá a vaga. Até o Sisu de 2018, os candidatos podiam permanecer na lista de espera da primeira opção, embora tenham sido aprovados na segunda. Atualmente, não é mais possível fazer isto.

O candidato não passou em nenhuma opção de curso no Sisu 2021. Pode entrar nas listas de espera dos dois?

Não. Neste caso, o candidato deverá escolher apenas uma das opções de curso para que concorra na lista de espera.

Como saber se fui chamado na lista de espera do Sisu 2021?

O candidato consegue ver se foi convocado na lista de espera diretamente pelas universidades em que se candidatou. Ele deverá  manifestar o interesse em participar da lista de espera pelo próprio Sisu.

Todos os candidatos que realizarem este processo, serão repassados ao Ministério da Educação (MEC) para as instituições, que publicam as chamadas de lista de espera conforme o cronograma de cada uma. Para isso, o candidato deve acessar o site da universidade para conferir o cronograma e saber se o seu nome foi convocado em cada chamada.

Sou bolsista do Prouni. Posso concorrer a uma vaga no Sisu 2021?

Sim. Entretanto, se for selecionado e se matricular em uma instituição pública de ensino superior, deverá escolher apenas pela vaga concebida através do Sisu ou pelo Prouni. Está proibido de se matricular em uma universidade pública e ser bolsista do programa ao mesmo tempo.

Posso me inscrever no Prouni e no Sisu no mesmo ano letivo?

Sim. Os programas utilizam-se da mesma nota de referência, que é a do Enem passado. Contudo, como explicado no caso anterior, se o candidato for aprovado na faculdade que concorreu pelo Sisu quanto na escolhida pelo Prouni, deverá escolher apenas uma das opções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.