3 Maneiras de fazer uma Graduação para quem não tem dinheiro

Atualmente a modalidade de ensino a distância vem crescendo bastante. No Censo da Educação Superior em 2020, mostra que mais de 3,7 milhões dos novos alunos do ensino superior, a maioria escolheu a modalidade de ensino a distância. E apesar da influência da pandemia, o EAD está crescendo em um ritmo bastante acelerado.

Só nos últimos dez anos, a modalidade de ensino a distância quadruplicou e o ensino totalmente presencial sofreu uma queda de 14 % no mesmo período.

Outra modalidade que vem crescendo é o ensino semi-presencial, nessas duas modalidades de ensino você pode ter maior flexibilidade de horários, muitas vezes alunos optam por essas modalidades para conseguirem conciliar trabalho e estudo.

Sendo assim tanto EAD, quanto semipresencial, tem maior custo-benefício, além de poder sempre conciliar com seus horários e poder estudar de casa, acessando qualquer computador ou até mesmo do seu celular.

Como funciona o ensino EAD?

No EAD (ensino a distância), o aluno não irá frequentar a sala de aula como já é de costume. E sim vai acessar as aulas por plataformas digitais, ou seja, online. Você vai precisar somente de internet e você pode acessar do seu computador, tablet ou celular e assim terá maior flexibilidade e autonomia para fazer o curso desejado. E nesse formato é importante saber que tudo é 100% digital e todas as aulas serão feitas nas plataformas digitais fornecidas pelas instituições de ensino. Com o aumento na procura pelo EAD, atualmente você encontra uma diversidade nos cursos superiores, isso vale para Bacharelados, Licenciaturas e Tecnológicos também. Assim você pode planejar sua carreira sem medo e com muita tranquilidade, cursando a faculdade no seu ritmo.

Essa experiência de cursar a faculdade a distância, também irá lhe trazer muitas habilidades tecnológicas, pois vai ficar fera em usar diferentes ferramentas online. Assim facilitando sua entrada no mercado de trabalho.

Como funciona o ensino semipresencial?

Ter o nome semipresencial, não significa que a divisão de aulas será metade online e metade presencial. No formato semipresencial a divisão pode ser feita de acordo com o curso escolhido pelo estudante.

Existem instituições educacionais que oferecem cursos com pouco material online e com mais de 80 % de carga horária no formato presencial. As aulas que são 100% digitais do curso semipresencial terão acesso por plataformas, também fornecidas pela instituição. Na maioria das vezes o graduando poderá contar com a ajuda do professor, para esclarecer dúvidas em relação aos conteúdos.

Maneiras que vão te ajudar a ingressar na faculdade com pouco dinheiro

Existem três programas estudantis do governo que vão te ajudar a ingressar na faculdade com pouco dinheiro, que são elas: ProUni, Sisu e Fies. Todos necessitam que o estudante faça o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Que acontece todos os anos, geralmente no mês de novembro. Esses programas abrem inscrições duas vezes ao ano, assim aumentando as chances dos estudantes garantirem uma vaga. Agora vamos saber tudo sobre esses programas.

  • ProUni (Programa Universidade para Todos): Esse programa tem como objetivo disponibilizar bolsas de estudos em instituições particulares, que podem ser bolsas de 100% (integral) e 50% (parcial). E abrem as inscrições após o resultado do Sisu.
  • Sisu (Sistema de Seleção Unificada): Nesse programa são disponibilizadas vagas em instituições e universidades públicas, para os estudantes que fizeram o Enem e conseguiram notas acima de zero nas provas e na redação. Em algumas universidades é exigida uma nota mínima para o aluno concorrer a uma vaga. A seleção é feita assim que sair o resultado do Enem. Para se candidatar a uma vaga o estudante é exigido que o estudante tenha feito o Enem, com a nota mínima de 450 pontos nas provas e não ter zerado na redação.
  • Fies (Financiamento Estudantil): O Fies tem como objetivo financiar o curso para aqueles alunos que não tem condições de pagar a mensalidade.

O estudante tem opções de financiamento que podem ser escolhidas de acordo com sua renda familiar e só começará a pagar após o término do curso. E para tentar a vaga, o estudante precisa ter participado de alguma edição do Enem desde 2010.

E para você que não se encaixa em nenhum dos programas citados acima, você pode tentar financiamentos diretamente pela universidade sem nenhuma burocracia.

Conheça algumas formas de obter dinheiro e ter uma renda extra, para te ajudar a ingressar na faculdade

  • Estágios Remunerados: Geralmente é feito por estudantes de cursos que não exigem estágios obrigatórios para a conclusão da carga-horária pedida pelo Ministério da Educação ou pela própria instituição.
  • Venda de Artesanato: Você pode usar algumas habilidades para fazer e vender sua própria arte, ou até mesmo revender de algum artesão/loja.
  • Vendas com loja virtual online: Que consiste em você abrir seu próprio negócio pela internet, sem custo algum.
  • Formate trabalhos na norma ABNT: Consiste em fazer formatação de textos na norma ABNT. O cliente envia o texto por email com as informações do serviço e você cobra pelo o que está sendo pedido.

Com algumas dessas formas você pode obter uma renda extra que te ajudará na vida acadêmica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.