Interrogação: um desafio para leitores da língua portuguesa

Cada idioma reserva suas particularidades de escrita e fala. O que pode parecer simples para os nativos, muitas vezes, é desafiador para quem está aprendendo uma nova língua. O uso do ponto de interrogação é um desses exemplos.

No espanhol, ele é usado de duas formas: do modo que o conhecemos (?) e invertido (¿). Os brasileiros que começam a estudar o idioma costumam estranhar a forma do segundo desenho e, também, as regras para utilizá-lo, uma vez que o sinal invertido é inserido para marcar o início de uma pergunta, o que pode coincidir com o começo da frase ou não.

Desta forma, quando pergunta-se “Aonde você vai?” em espanhol, a escrita é: ¿A donde vas?. A frase completa é uma pergunta, portanto, o sinal invertido é colocado no início e o sinal comum ao final, abrindo e fechando a questão.

No entanto, em outras circunstâncias, pode haver o uso do sinal de interrogação invertido no meio da frase. Quando se diz “Oi, como estão as coisas?”, a escrita em espanhol é Hola, ¿qué tal?. Isto porque a primeira palavra é um cumprimento e só depois dela é feita a pergunta.

O uso do ponto de exclamação no espanhol segue a mesma regra, sendo utilizado de forma invertida para marcar o início de uma exclamação – que pode ocorrer tanto no início quanto no meio da frase – e da forma comum para encerrá-la.

Se a regra pode parecer complicada para os estudantes brasileiros de espanhol, os falantes dessa língua nativa podem achar o uso do ponto de interrogação no português um desafio, sobretudo, para a leitura. Afinal, é mais complicado identificar a pergunta no texto, já que o sinal de pontuação é sempre apresentado ao final da frase.

Dicas para não errar ao ler, escrever e traduzir para o português

Na verdade, a regra sobre o uso do ponto de interrogação no português pode causar atropelos na leitura também dos brasileiros. Por isso, é aconselhável que as pessoas leiam um texto, pelo menos, duas vezes para obter um melhor entendimento.

É recomendado que a primeira leitura seja em voz baixa para o conhecimento das informações e só depois o texto seja lido em voz alta. Por isso, é comum que locutores, radialistas, jornalistas, contadores de histórias, atores, dubladores e outros profissionais que utilizam a voz façam marcações para destacar a entonação das frases.

Para uma escrita adequada, é importante conhecer as regras gramaticais e o uso correto dos sinais de pontuação. Já com relação à tradução de textos, outros aspectos devem ser considerados, como explica o tradutor Rodrigo Aguiar. “A tradução não é simplesmente transpor uma palavra para o sinônimo, pois não trata-se apenas de traduzir um código, mas sim, de interpretar uma cultura diferente.”

De acordo com o especialista, para isso, é importante ter uma compreensão sobre o assunto que será traduzido e o público para o qual destina-se o conteúdo. “É válido lembrar, ainda, que quando se faz uma tradução de outro idioma para o português é necessário ter o domínio da língua de chegada para que a informação seja inteligível. O conteúdo precisa ser bem escrito e estar gramaticalmente correto.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.