Estudar Terapia Ocupacional: como funciona a profissão


A terapia ocupacional é uma atividade que favorece às pessoas de todas idades e traz grandes benefícios à saúde.

Principalmente daquelas pessoas, que por algum motivo, apresentam dificuldades para realizar tarefas do dia a dia.

Com o passar do tempo é comuns que algumas atividades, antes quase involuntárias, se tornem mais difíceis.

Já pensou em ser um terapeuta ocupacional e ajudar as pessoas a viverem de forma mais autônoma, mesmo com suas limitações?

Vamos tirar todas as suas dúvidas sobre a terapia ocupacional e ressaltar a importância deste profissional no dia a dia das pessoas.

Entenda o que é a terapia ocupacional e os principais benefícios que ela oferece

A atividade do terapeuta ocupacional é voltada para a ocupação humana. Pode ser ou não praticada em conjunto com profissionais de fisioterapia.

Em outros casos, como por exemplo, os de transtornos mentais, ambos se distinguem.

Esta diferenciação é necessária devido a confusão que é feita entre a terapia ocupacional e a fisioterapia.

Já que como dito anteriormente, alguns pacientes são atendidos por pelas duas especialidades simultaneamente.

Apesar de estarem integradas no mesmo conselho de classe (Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional), as profissões em si, apresentam muitas diferenças.

Estudar Terapia Ocupacional: o que você precisa saber sobre a graduação?

Dentro da grade curricular você vai estudar:

  • Anatomia
  • Fisiologia
  • Biologia
  • Ciências Humanas e Sociais
  • Psicologia do trabalho
  • Introdução à antropologia

Na parte específica as disciplinas são focadas nas áreas de psiquiatria e deficiência mental e física.

Em alguns casos, estudará o processo terapêutico se utilizando da expressão artística.

Durante a graduação é exigido o estágio em áreas da saúde, sociais, asilos centros de recuperação e etc…

O curso dura em média, 4 anos.

O que você poderá fazer

O terapeuta ocupacional auxilia o paciente em atividades básicas do cotidiano, tais como:

  • Autocuidado (cuidados pessoais, alimentação e vestuário)
  • Produtividade (trabalho ou estudo)
  • Momentos de lazer (dança, esporte, pintura…)
  • Atividades sociais em geral.

Os terapeutas ocupacionais exercem ainda o trabalho de planejamento de vida, com pessoas jovens e que já visam a qualidade de sua saúde a longo a prazo.

O profissional traça um planejamento alinhado as necessidades e aos interesses do cliente, naquela circunstância.

O foco do terapeuta ocupacional não é apenas a saúde, há uma atuação efetiva na educação e no âmbito social.

Este profissional é direcionado à prevenção e reabilitação de pessoas com algum distúrbio do movimento.

Onde você poderá atuar

Diretamente com pacientes com doenças de natureza cardíaca, respiratória, neurológica ou várias outras deficiências que afetem sua capacidade motora.

São vários os ambientes de trabalho deste profissional:

  • Hospitais;
  • Clínicas;
  • Ambulatórios e lares de idosos

Mas não ficam restritos a estabelecimentos de saúde. Suas habilidades podem ser aproveitadas ainda em:

  • Projetos sociais;
  • Instituições escolares;
  • Empresas;
  • Ambiente doméstico;
  • Presídios e penitenciárias.

E em diversos outros lugares.

A este profissional é atribuída a responsabilidade de atuar no âmbito da saúde coletiva.

Já que sua competência está atrelada ao envolvimento com questões sociais, de recuperação física e psicológica, além da restituição social.

Em resumo, sua atuação auxilia no progresso, na prevenção e na reabilitação de quem  precisa de cuidados específicos.

A quem você poderá ajudar ao formar em terapia ocupacional

Independentemente da idade. Se a pessoa possui dificuldades em seu desenvolvimento cotidiano.

Ou apresenta limitações ao praticar atividades do dia a dia, deve optar pelos serviços do terapeuta ocupacional.

Os especialistas desta área, entendem que este tratamento promove uma conexão do ser ao que eles necessitam ou querem fazer.

Abaixo você encontra o perfil dos pacientes e os benefícios que eles encontram na terapia ocupacional:

Crianças que apresenta subdesenvolvimento neuropsicomotor

O profissional se encarrega de estudar o desenvolvimento infantil e suas características em desenvolvimento.

A criança geralmente estimula suas atribuições motora, sensorial e neurológica ao brincar, mas um ‘brincar’ específico.

É preciso que os brinquedos sejam adequados a sua idade e suas necessidades.

Adulto que precisou ter a mão amputada

Um acidente desta natureza pode comprometer consideravelmente a qualidade de vida de quem perdeu o membro.

A função do terapeuta ocupacional neste caso, é apresentar soluções para que ele possa voltar a exercer atividades básicas do dia a dia, como:

  • Comer;
  • Beber;
  • Se vestir;
  • Escovar os dentes;
  • Pentear o cabelo;
  • Tomar banho.

O propósito é que o paciente conviva da melhor forma possível, com sua nova realidade e não perca a autonomia sobre sua própria vida.

Portadores de transtorno mental das mais diversas naturezas, como a depressão

Neste processo, a terapia ocupacional atua no desenvolvimento de uma rotina de ações cotidianas que promova satisfação e propósito ao paciente.

Aumentando, dessa forma, sua autoconfiança, autoestima e independência.

Dando a ele a possibilidade de conseguir executar as tarefas que praticava antes.

Além de ajuda-lo a conseguir um emprego e abrir um leque de opções para a ocupação do tempo de forma satisfatória

Devolve autonomia ao paciente

O trabalho deste profissional parte da dificuldade ou limitação de cada pessoa.

Juntos, eles vão descobrindo diferentes maneiras de realizar o que é preciso, dentro do que o paciente quer, a fim de devolvê-lo sua autonomia.

As técnicas podem favorecer uma variação na maneira de colocar alguma atividade em prática, de modo que seja evitada a sobrecarga de uma articulação.

Ou ainda, de um bom planejamento, focado na prática de uma atividade, para realizá-la de uma forma suficientemente confortável.

Em muitos casos, algumas adaptações são fundamentais.

Elas podem partir da indicação e elaboração do profissional desta área..

Com a indicação de equipamentos que favoreçam a evolução, tais como: recursos de tecnologia assistiva (órteses e cadeiras de rodas).

Ou ainda com transformações nos ambientes, que promovam melhor adaptação ao paciente.

Outro ponto muito importante é o histórico do paciente.

É preciso investigar todas as atividades que ele praticava no decorrer de sua vida, fugindo do olhar exclusivo a doença ou condição que o limita.

Quais eram as brincadeiras preferidas? Onde estudou? Onde trabalhou? Suas atividades de lazer preferidas.

Estes são exemplos de questionamentos que precisam ser feitos, para que se estabeleça uma relação de confiança entre profissional e paciente.

E se aprofunde no conhecimento sobre o paciente, com uma visão além da limitação.

Somente a partir deste processo, é possível se conectar, resgatar e inserir um acompanhamento ideal a sua rotina.

Não basta ser sólido e consistente aos olhos do profissional, o tratamento tem que fazer sentido para o paciente.

É importante ressaltar que os resultados entre os pacientes podem ser distintos, já que o tempo de cada um é diferente.

Dessa forma, é preciso analisar as características com uma visão individualizada, que leve em conta a idade, o contexto ocupacional, evolução e objetivos do paciente.

Tem que sair fora da caixa, propor soluções diferentes e se questionar sempre se aquele é o melhor caminho.

A pergunta sempre será: Como posso ajudar esta pessoa a ter uma vida melhor? E os frutos serão colhidos com tempo.

A atribuição do terapeuta ocupacional é uma área profunda e necessária, e que viabiliza a sobrevivência humana, em casos específicos.

Quando formado, você será encarregado de se dedicar a procurar formas de melhorar a qualidade de vida de pessoas com fatores limitantes.

A atividade é definida pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO) como “profissão de nível superior voltada ao estudo”.

Me conta o que você achou deste conteúdo! É um terapeuta ocupacional que você quer ser ? Esta pode ser a sua carreira

Deixe sua opinião e interaja com quem está direcionando o destino, como você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *