UFPE cria comissão para validar cotistas no Sisu 2019

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) informou que criou uma comissão para avaliar e validar os cotistas por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para candidatos negros. A informação consta no edital do Sisu 2019 da UFPE. No total, a UFPE ofertará 6.972 vagas, sendo 5.522 no Recife, 1.020 em Caruaru, no Agreste, e 430 em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata.

Aqueles candidatos que se inscreverem para disputar uma das 2.400 vagas que compõem as cotas étnico-raciais e se declarar como preto ou pardo vai ser submetido a uma Comissão de Validação da Autodeclaração. Caso essa comissão, formada por três membros (um professor, um aluno e um técnico da instituição), discorde, por unanimidade, da condição informada pelo estudante ele perderá o direito de ocupar a vaga.

Inscrições no Sisu 2019/1

As inscrições no Sisu 2019/1 serão realizadas na página sistema de 22 a 25 de janeiro. Para se candidatar é preciso ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018. O Sisu 2019/1 ofertará 235.476 vagas em 129 instituições de ensino superior.

Ano passado, por causa de denúncias, a UFPE abriu sindicância para averiguar 11 alunos que ingressaram em graduações pelas cotas raciais. Dois desses estudantes abandonaram os cursos, mas os processos ainda não foram concluídos.

Matrícula na UFPE

Todos os candidatos autodeclarados negros (pretos ou pardos) que forem selecionados na chamada regular, assim como os convocados da lista de espera do Sisu 2019, deverão, obrigatoriamente, submeter-se à Comissão de Validação da Autodeclaração. Eles vão se apresentar durante as matrículas. Este ano a lista de espera do Sisu 2019/1 terá mudanças.

Conforme o Edital da UFPE para o Sisu 2019/1, para validar a autodeclaração de candidatos às vagas reservadas aos candidatos negros (pretos ou pardos) serão considerados unicamente os aspectos fenotípicos do candidato, sendo vedado qualquer outro critério, inclusive as considerações sobre a ascendência.

Em outro trecho, a universidade detalha o conjunto de características físicas que serão observadas: cor da pele, a textura do cabelo e os aspectos faciais, “que, combinados ou não, permitirão validar ou invalidar a autodeclaração”, diz o edital. Pelo menos dois dos três membros da comissão têm que concordar com a autodeclaração do candidato.

INDÍGENAS

O edital informa que os candidatos indígenas devem apresentar “o Termo de Autodeclaração de Identidade Indígena – TADII, acompanhado do Registro de Nascimento Indígena e/ou Carta de Recomendação emitida por liderança indígena reconhecida ou ancião indígena reconhecido ou personalidade e indígena de reputação pública reconhecida ou órgão indigenista e/ou Histórico Escolar emitido por escola indígena”.

Exige-se ainda que o estudante indígena apresente um “memorial de educação indígena (texto dissertativo sobre a trajetória de vida do ponto de vista dos estabelecimentos escolares que frequentou, dos processos educativos indígenas que participou, e indicando explicitamente o nível de apropriação da língua indígena – compreende, lê, escreve, fala).

DEFICIENTES

Para os candidatos com algum tipo de deficiência, o edital do Sisu 2019 informa que eles terão que apresentar exames específicos sobre a deficiência que possuem, de modo a qualificar essas especificidades. A documentação será avaliada por uma comissão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.