Mais de 30 mil estudantes estão inscritos no Pism 2022

Mais de 30 mil participantes estão inscritos para a realização das provas do Programa de Ingresso Seletivo Misto (Pism 2022) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). A edição terá 13.039 candidatos no módulo I do vestibular seriado; 9.581 para o módulo II; e outros 7.694 para o módulo III. As provas acontecem nos dias 5 e 6 fevereiro nos municípios de Juiz de Fora (MG), Governador Valadares (MG), Muriaé (MG); Petrópolis (RJ) e Volta Redonda (RJ).

A maior concentração de inscritos – 16.994 participantes – irá realizar as provas em Juiz de Fora. Outros 4.410 secundaristas farão os exames em Governador Valadares. Estarão alocados em Muriaé, 3.416 estudantes; em Petrópolis, 3.363; e em Volta Redonda, 2.131. Ao todo, 30.314 estudantes. O período de inscrição para o Pism terminou em 27 de outubro, e a relação de candidatos por vaga será publicada em 25 de janeiro de 2022 no site da Copese. Também no dia 25 de janeiro estarão disponíveis na Área do Candidato, no mesmo site, os comprovantes definitivos de inscrição.

Segundo o pró-reitor de Graduação, Cassiano Caon Amorim, a UFJF tem se preparado com bastante antecedência para a realização das provas do Pism. Entre as ações, está a definição da data do processo para fevereiro, quando participantes e trabalhadores já estarão, possivelmente, com o ciclo vacinal completo.

“Considerando também que a Universidade está seguindo todos os protocolos de biossegurança, tanto em Juiz de Fora quanto nos outros municípios em que acontecem as provas, é importante destacar que, assim como era feito anteriormente, voltamos a organizar o vestibular seriado de maneira unificada para os três módulos. Nós estamos trabalhando para que haja segurança para todos os envolvidos, tanto estudantes quanto trabalhadores”, explica Amorim.

Impactos da pandemia

Nas últimas duas edições houve redução no número de inscritos do Pism. Em 2019, o vestibular seriado recebeu um total de 40.202 inscrições e, em 2020, 34.035 estudantes. Os números deste ano representam uma redução de 10% dos participantes em relação a 2020.

Para o pró-reitor de Graduação, a pandemia trouxe exclusão e desigualdade de oportunidades para os processos seletivos em geral. “Temos um quantitativo significativo de estudantes do Ensino Médio que podem não ter se sentido motivados a fazer as avaliações pelas dificuldades que encontraram de ingressar no primeiro ano e, principalmente, para aqueles que precisavam dar continuidade ao segundo e terceiro ano. Sabemos que as redes públicas e privadas também têm tido dificuldades em ofertar o ensino remoto emergencial.”

Amorim ainda destaca a situação econômica do país. “Apesar de estudantes de escolas públicas poderem pedir a isenção da taxa de inscrição, é preciso comprovar uma série de situações para que ela seja garantida.” Todos esses fatores podem ter conduzido a uma queda do número de inscritos como observado também no cenário nacional. “Assim como no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e em outros grandes vestibulares, por exemplo, o da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), apontam que não estamos isolados nesse contexto. Infelizmente, essa também é uma realidade que se verificou na UFJF”, finaliza.

Com informações do Portal de Notícias da UFJF.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.