UEL recebe pedidos de isenção da taxa do Vestibular 2023

A Universidade Estadual de Londrina (UEL), no Paraná, está recebendo pedidos de isenção do pagamento da taxa do Vestibular 2023 pelo Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). A solicitação deve ser feita pela internet, até o dia 30 de junho.

Para receber o benefício, o candidato deve informar seu Número de Identificação Social (NIS) do CadÚnico. A previsão é que o resultado das isenções seja divulgado em 4 de julho. O prazo para entrar com recursos é nos dias 5 e 6 do mesmo mês.

O resultado final deve ser publicado em 8 de julho e os contemplados deverão preencher o Formulário de Inscrição no Processo Seletivo do Vestibular 2023.

Em 11 de julho, terá início o prazo para solicitação de isenção ou redução na taxa através do processo de Análise Socioeconômica do Serviço de Bem-Estar à Comunidade (SEBEC). Interessados terão até o dia 15 de julho para se inscrever e apresentar a documentação exigida no edital.

O Vestibular da UEL terá duas etapas, sendo a primeira prova aplicada em 5 de março de 2023, domingo. A avaliação será composta por 60 questões de múltipla escolha nas disciplinas de Geografia, História, Filosofia, Artes, Química, Física, Biologia, Sociologia e Matemática.

A segunda etapa, por sua vez, será dividida em três dias. No dia 2 de abril, também domingo, os candidatos farão a prova com questões de Língua Portuguesa e Literatura em Língua Portuguesa, Língua Estrangeira e Redação. Em 3 de abril, segunda-feira, será aplicada a prova discursiva de conhecimentos específicos. Por fim, em 4 de abril, terça, farão as provas de habilidades específicas os candidatos aos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Design Gráfico, Design de Moda e Artes Visuais.

No caso dos candidatos aos cursos de Música, haverá um teste prévio de habilidades específicas, no dia 4 de dezembro deste ano, domingo.

As obras literárias que serão cobradas tanto no Vestibular 2023 como em 2024 incluem 10 títulos:

  • Contos novos, de Mário de Andrade;
  • Quarto de despejo, de Carolina Maria de Jesus;
  • Histórias que os jornais não contam, de Moacyr Scliar;
  • O rei da vela, de Oswald de Andrade;
  • O seminarista, de Bernardo Guimarães;
  • Niketche, de Paulina Chiziane;
  • Torto arado, de Itamar Vieira Junior;
  • Melhores poemas, de Fernando Pessoa;
  • Chove sobre minha infância, de Miguel Sanches Neto; e
  • Cartas chilenas, de Tomás Antônio Gonzaga.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.