Ensino

Pé de Meia: 2,4 milhões de estudantes serão beneficiados, veja os incentivos

A partir de março de 2024, uma nova iniciativa do governo federal trará alívio financeiro para milhões de estudantes de baixa renda matriculados no ensino médio regular das redes públicas.

Chamado de Pé-de-Meia, este programa de incentivo financeiro-educacional em forma de poupança visa promover a permanência e conclusão escolar dos alunos em todas as modalidades de ensino médio público.

NOTA DE CORTE SISU

Clique e se cadastre para receber as notas de corte do SISU de edições anteriores.

QUERO RECEBER AS NOTAS DE CORTE DO SISU

O programa é destinado a famílias inscritas no Programa Bolsa Família e tem como objetivo reduzir a desigualdade social, democratizar o acesso à educação e estimular a mobilidade social dos jovens brasileiros.

Dados do Censo Escolar revelam que, anualmente, cerca de 500 mil estudantes abandonam o ensino médio, principalmente no primeiro ano.

Publicidade

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, assinou a lei do Pé-de-Meia em 16 de janeiro, ao lado do Ministro de Estado da Educação, Camilo Santana. Durante uma coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira, 26 de janeiro, no Palácio do Planalto, o presidente Lula assinou o decreto que regulamenta a lei, estabelecendo todas as normas e critérios para a sua implementação.

Quem São os Elegíveis para o Pé de Meia?

A partir de 2024, estudantes com idades entre 14 e 24 anos, de baixa renda, matriculados no ensino médio regular das redes públicas, nos três anos da etapa, e pertencentes a famílias inscritas no Programa Bolsa Família no início do ano letivo serão elegíveis aos incentivos do Pé-de-Meia.

Publicidade

Além da situação de vulnerabilidade social, a inscrição do aluno no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) é um requisito essencial para acessar o programa.

Quais os incentivos do Programa

O Pé-de-Meia oferece quatro tipos de incentivos, todos condicionados à comprovação das condições exigidas pelo programa:

  1. Incentivo Matrícula: Cada estudante receberá R$ 2 mil reais por ano, em dez parcelas mensais, de março a junho e de agosto a dezembro, mediante comprovação de matrícula.
  2. Incentivo Frequência: Para receber este incentivo, é necessário ter frequência mínima escolar de 80% do total de horas letivas, aferida pela média do período letivo ou pela frequência mensal do estudante.
  3. Incentivo Enem: Os concluintes do 3º ano que comprovarem a participação no Enem receberão um incentivo extra de R$ 200.
  4. Incentivo Conclusão: Ao concluir com aprovação cada ano letivo do ensino médio, o estudante terá R$ 1 mil depositados em uma poupança. Esse valor pode ser utilizado pelo estudante ao longo do ano letivo, e um terço fica reservado para saque quando ele concluir o ensino médio.

Colaboração entre Entes Federados

O sucesso do Pé-de-Meia dependerá da colaboração entre os entes federados, incluindo redes federais, estaduais, distrital e municipais que oferecem ensino médio.

Estas redes serão responsáveis por captar e informar ao Ministério da Educação (MEC) os dados dos estudantes, incluindo informações pessoais e escolares necessárias para a abertura das contas.

O MEC, por sua vez, filtrará os estudantes elegíveis e enviará as informações para a Caixa Econômica Federal, que será responsável pela abertura das contas e pela gestão das poupanças dos estudantes.

Dessa forma, a participação das redes de ensino será crucial para o acompanhamento do programa e para garantir que os estudantes cumpram as condicionalidades necessárias para o recebimento dos incentivos.

O Ministro da Educação, Camilo Santana, ressaltou, em entrevista, a importância do Pé-de-Meia como parte da estratégia do governo para fortalecer a educação básica e garantir que os estudantes de baixa renda possam permanecer na escola e continuar sua formação.

Com um investimento estimado em R$ 7,1 bilhões por ano, financiado pelo fundo privado da Caixa Econômica Federal, o Pé-de-Meia representa um passo significativo na busca por uma educação mais inclusiva e igualitária no Brasil.

A partir de março de 2024, milhões de estudantes terão a oportunidade de contar com um apoio financeiro que pode fazer toda a diferença em suas vidas acadêmicas e profissionais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *