Literatura

Literatura Portuguesa: Trovadorismo

Entender o Trovadorismo é um passo essencial na preparação para o Enem e o vestibular, pois marca o início da literatura portuguesa e estabelece as bases para os movimentos literários subsequentes.

Logo abaixo vamos explorar as características distintas do Trovadorismo, seu contexto histórico, suas principais obras e como elas podem ser abordadas em exames.

GABARITO ENEM 2023

Clique e se cadastre para receber o Gabarito do Enem 2023

👉 QUERO RECEBER O GABARITO DO ENEM 2023💖

1. Contexto Histórico do Trovadorismo

O Trovadorismo surgiu entre os séculos XII e XIV, durante um período de formação da identidade portuguesa, na esteira da Reconquista cristã na Península Ibérica.

A literatura produzida neste momento era essencialmente oral e musical, com os poemas destinados a serem cantados em apresentações públicas, daí a importância dos trovadores, os artistas que criavam e apresentavam estas obras.

Publicidade

2. A Poesia Trovadoresca

2.1 Cantigas de Amor

As Cantigas de Amor representam uma das principais formas de expressão do Trovadorismo. De influência provençal, são marcadas pela expressão de um amor cortês, submisso e sofredor pelo objeto de desejo – a mulher, geralmente pertencente a uma classe social superior. Importante notar que, nestas cantigas, a mulher é idealizada e distante, sendo tratada como uma figura quase divina.

2.2 Cantigas de Amigo

As Cantigas de Amigo apresentam uma visão mais realista e quotidiana do amor. O trovador, ao assumir a voz feminina, expressa um amor mais próximo da realidade do povo, por meio de uma linguagem simples e popular. Essas cantigas muitas vezes retratam a saudade da mulher pelo seu amado, que está distante.

Publicidade

2.3 Cantigas de Escárnio e Maldizer

As Cantigas de Escárnio e Maldizer representam a faceta mais satírica e crítica do Trovadorismo. Nestas, o trovador dirige-se a um indivíduo ou grupo específico, criticando, ridicularizando ou insultando, muitas vezes em um contexto político. A diferença entre elas reside no fato de que as de escárnio são mais indiretas e ambíguas, enquanto as de maldizer são diretas e explícitas em suas críticas.

3. Representantes e Obras Marcantes

Os principais representantes do Trovadorismo são os trovadores cujas obras chegaram até nós. Paio Soares de Taveirós, com a “Cantiga da Ribeirinha”, considerada a primeira cantiga de amor; Martin Codax, um dos poucos autores de cantigas de amigo cujos nomes conhecemos; e João Soares de Paiva, um dos mais expressivos autores de cantigas de escárnio.

4. Como o Trovadorismo é Abordado no Enem e Vestibular

Em exames como o Enem e os vestibulares, o Trovadorismo costuma ser abordado em questões que requerem o conhecimento das características dos três tipos de cantiga. Também pode haver perguntas relacionadas ao contexto histórico e social, bem como questões de interpretação de trechos de cantigas. Portanto, para se preparar, é importante estudar tanto a teoria – as características e contextos – quanto a prática – a leitura e interpretação de cantigas.

Dicas para a Preparação

Para se preparar para o Enem e o vestibular, você deve ter em mente as seguintes dicas:

  1. Estude as características de cada tipo de cantiga: Compreender a diferença entre as cantigas de amor, de amigo e de escárnio e maldizer é crucial.
  2. Pratique a interpretação de textos: As cantigas trovadorescas são textos antigos com uma linguagem diferente da atual, portanto, a prática de interpretação é essencial.
  3. Revise o contexto histórico: Conhecer o contexto em que as cantigas foram produzidas ajuda a entender seu conteúdo e sua forma.
  4. Revisite a obra dos autores mais importantes: Ler as cantigas de autores como Paio Soares de Taveirós, Martin Codax e João Soares de Paiva é uma boa forma de se familiarizar com o estilo trovadoresco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *