USP decide regras para volta das aulas presenciais de 100% dos estudantes

A Universidade de São Paulo (USP) anunciou que as aulas na universidade em 2022 serão 100% presenciais para todos os alunos.

No campus da USP da cidade de Ribeirão Preto, por exemplo, a universidade conta com mais de 10 mil alunos matriculados, contando com os cursos de graduação, pós-graduação e também outras especializações. Para além dos alunos, há 2 mil funcionários, contando com professores, servidores e colaboradores terceirizados.

De acordo com uma portaria que foi publicada pela reitoria da USP no Diário Oficial do Estado – DOE, a nova decisão deve começar a valer a partir do início do ano letivo de 2022.

O segundo semestre de 2021, por conta da pandemia do novo vírus, ainda não foi encerrado, e as aulas continuam até o dia 14 de janeiro deste ano.

Por outro lado, as aulas do 1º semestre de 2022 tem previsão de serem retomadas no dia 14 de março de 2022 para os estudantes que já estão matriculados na universidade. Para os novos estudantes, a data de início ainda não foi divulgada.

USP define regras para retorno de 100% dos alunos

Ainda de acordo com o conteúdo do documento da portaria, a nova medida permite que as salas de aulas da USP, assim como os laboratórios da universidade, sejam ocupados por até 100% dos estudantes matriculados nos cursos.

Porém, apesar disso, quem, dentre professores e alunos, apresentar algum dos sintomas da Covid 19 deve se afastar, de forma imediata, das suas atividades e então procurar orientação médica o quanto antes for possível. Afinal, a pandemia ainda não acabou. E a USP tem total ciência dessa realidade, principalmente com o recente advento de novas variantes do mesmo vírus.

Além disso, o comprovante de vacinas contra o coronavírus com as duas doses e, também, com as doses de reforço do imunizante, será exigida de estudantes, professores e funcionários, de acordo com a faixa etária categorizada pelo plano de vacinação.

A regra da portaria também abre a possibilidade para que os estudantes apresentem testes PCR ou de antígenos para a identificação da covid a cada semana de atividades presenciais na universidade.

Ao mesmo tempo, a portaria também reforça que as suas medidas serão revistas, de acordo com os desdobramentos da pandemia. Portanto, isso significa que as mesmas decisões podem ser alteradas, se assim a situação atual sanitária exigir da instituição de ensino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.